Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.704,96
    -658,14 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.248,84
    -465,76 (-0,90%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,06
    +0,40 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.800,60
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    60.811,52
    +1.909,05 (+3,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.491,73
    +72,36 (+5,10%)
     
  • S&P500

    4.596,42
    +44,74 (+0,98%)
     
  • DOW JONES

    35.730,48
    +239,79 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.249,47
    -3,80 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    25.555,73
    -73,01 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.820,09
    -278,15 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    15.670,00
    +82,75 (+0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5948
    +0,1701 (+2,65%)
     

Polícia prende suspeito de matar PM na Baixada Fluminense

·1 minuto de leitura

Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) prenderam, nesta terça-feira, Wellington Tobias Rodrigues da Silva, de 26 anos. Ele estava com a prisão temporária decretada pela Justiça por suspeita de ser um dos homens que participou da morte do cabo PM Daniel Alexandrino de Oliveira, no dia 1º de setembro, em Mesquita, na Baixada Fluminense.

Wellington foi detido em uma casa no Bairro Caonze, em Nova Iguaçu, também na Baixada.

Imagens de uma câmera de segurança flagrante a ação que acabou na morte do militar. O PM e outros dois homens conversavam na esquina Ruas São Paulo e Bahia, no Bairro Juscelino, quando três homens armados dispararam vários tiros contra o grupo. Após os disparos os bandidos fugiram correndo. Além do PM, uma segunda vítima foi baleada. Ele foi socorrida e conseguiu sobreviver. A polícia investiga a informação de que o alvo dos criminosos seria uma das pessoa que conversava com o cabo PM. Wellington vai responder por crimes homicídio e de tentativa de homicídio.

Segundo a polícia, ele tem passagens em delegacias por crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e tentativa de homicídio.A Polícia Civil disponibilizou o celular (21) 98596-7442 para receber informações sobre o caso através de mensagens de aplicativo. Quem preferir pode repassar informações sobre o caso para o Disque-Denúncia( 2253-1177). Não é necessário se identificar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos