Mercado fechado

Polícia de MG ouve 21 testemunhas sobre contaminação de cervejas da Backer

Cibelle Bouças

A intenção da polícia, ao falar com vítimas e familiares das vítimas, é obter mais detalhes sobre os acontecimentos que antecederam a intoxicação A Polícia Civil de Minas Gerais informou nesta sexta-feira (24) que já ouviu 21 pessoas a respeito dos casos suspeitos de contaminação por dietilenoglicol, após o consumo de cervejas da Backer. Só hoje, a polícia ouviu cinco pessoas.

A intenção da polícia, ao falar com vítimas e familiares das vítimas, é obter mais detalhes sobre os acontecimentos que antecederam a intoxicação.

As amostras de cerveja da Backer recolhidas na semana passada e nesta estão sendo analisadas pelo Instituto de Criminalística.

A Polícia Civil informou ainda que investiga 29 casos de pessoas que apresentaram sintomas da síndrome nefroneural. A Secretaria de Saúde de Minas Gerais, no entanto, considera que o total de casos suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol se mantém em 26 notificações. De acordo ainda com a secretaria, os casos incluídos como suspeitos apresentaram sintomas de intoxicação a partir de outubro de 2019.

Os casos de pessoas com sintomas semelhantes ao quadro de intoxicação por dietilenoglicol, mas que tomaram a cerveja da Backer antes de outubro de 2019, são monitorados, mas estão fora da lista do órgão.