Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.642,73
    +744,30 (+1,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Polícia Legislativa envia inquérito sobre agressões sofridas por Joice Hasselmann ao Ministério Público Federal

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA - O Departamento de Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados (Depol) enviou nesta terça-feira o inquérito sobre as agressões sofridas pela deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) ao Ministério Público Federal (MPF). Agora, caberá ao órgão avaliar quais providências vai tomar.

Em nota, os investigadores afirmaram que foi realizada a "perícia em 16 câmeras do prédio onde se localiza o apartamento funcional" de Joice. Além disso, agentes ouviram funcionários da parlamentar e outras pessoas que trabalham no local.

"O Depol já enviou o inquérito acerca do caso para o Ministério Público Federal. Caberá ao Procurador da República oferecer ou não a denúncia à Justiça Federal", diz Polícia Legislativa, em nota.

Segundo o colunista do GLOBO, Lauro Jardim, até a noite de ontem os agentes não haviam encontrado qualquer imagem de estranhos entrando no prédio onde a deputada mora. Nas redes sociais, a parlamentar afirmou que o edifício não dispõe de câmeras nas escadas e nas entradas dos apartamentos.

Joice Hasselman relatou a agressão pela primeira vez à colunista Bela Megale na última quinta-feira. Na ocasião, ela contou que acordou no domingo sobre uma poça de sangue, sem se lembrar o que tinha acontecido. A deputada sofreu cinco fraturas na face e uma na coluna.

Nesta terça-feira, o Depol ressaltou que o local onde houve o incidente está sob vigilância.

"A Câmara esclarece que há segurança nos locais onde se localizam os apartamentos funcionais dos parlamentares. Os prédios possuem vigilância armada e porteiros, ambos 24 horas por dia, 7 dias por semana. Além disso, há câmeras de segurança e rondas ostensivas, com viatura caracterizada".

O caso ainda é investigado em outras frentes. Na segunda-feira, Joice prestou depoimento à Polícia Civil do Distrito Federal para relatar o caso. Ela afirmou que entregou à polícia um objeto encontrado na sala de sua casa e que não pertenceria a ninguém de seu círculo. A deputada não quis dizer qual é o objeto.

Durante a tarde desta terça-feira, a polícia do DF realizou uma perícia em sua residência. Antes, agentes fizeram uma varredura em seu carro.

Joice afirmou que relatou à polícia do DF tudo o que já havia dito à Polícia Legislativa e ao Ministério Público, inclusive citando as duas pessoas das quais suspeita, e que acrescentou informações novas, mas não detalhou quais.

Ontem, após o depoimento na 2ª Delegacia de Polícia da Asa Norte, em Brasília, ela fez exames no Instituto Médico Legal (IML).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos