Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.212,45
    +414,21 (+0,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Polícia investiga morte de estudante da UFRJ encontrado com marcas de agressão e tiros em Jacarepaguá

Leonardo Sodré
·2 minuto de leitura

A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) investiga a morte do estudante de História da UFRJ Rodrigo dos Anjos Nascimento, de 22 anos, encontrado com marcas de agressão e de tiros na Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio. A polícia já ouviu familiares e amigos da vítima e analisa imagens de câmeras de segurança para esclarecer o caso. A suspeita é de que ele tenha sido assassinado por milicianos que atuam na região. O Instituto de História da universidade acredita que ele foi vítima de homofobia.

Os investigadores ouviram de testemunhas que o estudante estava com colegas em uma festa na comunidade Dois Irmãos, em Curicica, na última segunda-feira, quando teria sido abordado por um grupo de milicianos que domina a região. Segundo relatos, momentos antes do desaparecimento do estudante, os milicianos teriam tentado se aproximar de mulheres que estavam no mesmo grupo que Rodrigo e houve discussão.

Major condenado:

O Instituto de História da UFRJ publicou uma nota em sua página nas redes sociais lamentando a morte do estudante, segundo a entidade,"vítima da violência e da homofobia". O instituto diz ainda que "as circunstâncias do seu assassinato revelam os desafios ainda presentes para a construção de um país mais justo, igualitário e de respeito à dignidade humana".

O Centro Acadêmico Manoel Maurício de Albuquerque, que representa os estudantes de História da UFRJ, também comentou a suspeita de o crime ter sido motivado por homofobia: "O caso do Rodrigo é mais uma prova de como os corpos LGBTQI+ são vítimas de uma sociedade cada vez mais violenta e conservadora, mas não pode ser tratado como estatística, estamos falando de mais um jovem que teve seu direito à vida ceifado, um jovem que tinha nome, que tinha sonhos e desejos", publicou o Centro Acadêmico em sua página no Facebook.

Meninos desaparecidos:

Nota do Instituto de História da UFRJ:

O Conselho Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), reunido em sessão ordinária do dia 25 de fevereiro de 2021, lamenta a morte violenta do aluno de Graduação do Instituto de História, Rodrigo dos Anjos do Nascimento.

Rodrigo foi vítima da violência e da homofobia tristemente vicejante em nossa sociedade. As circunstâncias do seu assassinato revelam os desafios ainda presentes para a construção de um país mais justo, igualitário e de respeito à dignidade humana.

À família do graduando Rodrigo e aos seus amigos, o CONSUNI dedica os sentimentos mais sinceros e o desejo de que consigam encontrar algum conforto num momento tão difícil.