Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,27
    +0,45 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.817,30
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    43.204,16
    -76,30 (-0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.037,76
    +12,03 (+1,17%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.383,32
    -46,48 (-0,19%)
     
  • NIKKEI

    28.124,28
    -364,82 (-1,28%)
     
  • NASDAQ

    15.616,75
    +21,00 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3169
    -0,0159 (-0,25%)
     

Polícia Federal realiza operação para investigar superfaturamento na realização do Enem

·1 min de leitura

BRASÍLIA — A Polícia Federal (PF) realiza, nesta terça-feira, uma operação para investigar um possível superfaturamento de R$ 130 milhões na realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As supostas irregularidades teriam ocorrido entre 2010 e 2018.

De acordo com comunicado da PF, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) contratou, "sem observar as normas de inexigência de licitação", uma empresa que recebeu R$ 729 milhões de recursos públicos nesse período.

"Além disso, apurou-se o envolvimento de servidores do INEP com diretores da referida empresa, bem como com empresas de consultoria subcontratadas pela multinacional", diz o texto. O nome da empresa não foi revelado.

Segundo a PF, investigações apontaram um "um enriquecimento ilícito de 5 milhões de reais dos servidores do Inep suspeitos de participação no esquema criminoso".

Estão sendo cumpridos 41 mandados de busca apreensão no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo. A Justiça Federal determinou o bloqueio de R$ 130 milhões das empresas e pessoas físicas envolvidas. A Controladoria-Geral da União (CGU) participa da operação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos