Mercado fechará em 4 h 19 min
  • BOVESPA

    128.959,14
    +531,16 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.364,15
    +193,37 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,18
    +0,10 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.779,40
    -4,00 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    34.425,27
    +363,66 (+1,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    830,39
    +43,77 (+5,56%)
     
  • S&P500

    4.263,31
    +21,47 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    34.103,03
    +228,79 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.110,05
    +35,99 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    28.882,46
    +65,39 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.394,50
    +131,50 (+0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8783
    -0,0502 (-0,85%)
     

Polícia da Colômbia anuncia sanções contra agentes por abusos durante protestos

·1 minuto de leitura
Policiais vigiam novo protesto em Bogotá

A polícia da Colômbia anunciou nesta segunda-feira sanções contra cinco policiais e investigações por supostos abusos cometidos por agentes públicos durante a repressão aos protestos contra o governo, que deixaram 27 mortos, a maioria manifestantes.

"Cinco policiais foram suspensos", informou o inspetor geral da instituição, general Jorge Ramírez, em vídeo enviado à imprensa. Dois deles foram detidos e afastados do serviço devido à morte do estudante Santiago Murillo, 19, "após distúrbios ocorridos em 1º de maio na cidade de Ibagué (centro)".

O oficial não divulgou detalhes sobre o caso, mas a imprensa local denunciou que o jovem levou um tiro no peito disparado por policiais motorizados. Segundo Ramírez, "62 investigações disciplinares estão em andamento por diferentes comportamentos supostamente irregulares" de policiais.

Segundo a Defensoria do Povo, 27 pessoas morreram nos protestos que tiveram início em 28 de abril contra o aumento de impostos planejado pelo governo para reduzir o impacto da pandemia. Pressionado pelos manifestantes, o presidente colombiano desistiu da iniciativa, mas a repressão policial aumentou o descontentamento popular com o governo. O país enfrenta hoje vários focos de protesto, que pedem uma mudança de política.

dl/vel/yow/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos