Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    61.024,87
    +32,41 (+0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Polícia Civil prende no Rio miliciano que teria feito harmonização facial para despistar autoridades

Extra
·1 minuto de leitura

Policiais do Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD), que integram a força-tarefa da Polícia Civil de combate às milícias, prenderam na noite desta quinta-feira, dia 4, André Costa Barros, o André Boto, de 35 anos. Ele é suspeito de extorquir comerciantes e moradores dos bairros de Curicica, Recreio dos Bandeirantes e Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Além disso, é investigado pela construção de prédios da milícia.

André é suspeito de extorquir comerciantes e moradores dos bairros de Curicica, Recreio dos Bandeirantes e Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Além disso, é investigado pela construção de prédios da milícia. André teria feito uma harmonização facial para despistar as autoridades.

Contra André, havia um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara Criminal da capital pelos crimes de tráfico de drogas, porte de arma de fogo e organização criminosa. Também foi preso em flagrante pelos crimes de receptação e porte ilegal de arma de fogo: ele estava com uma Pajero blindada clonada, uma pistola Glock calibre ponto 40 e uma identidade funcional falsificada da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

Em dezembro do ano passado, no Recreio dos Bandeirantes, a polícia interditou a construção de um prédio com 37 apartamentos que seria comandada pelo criminoso. A obra não tinha responsável técnico e autorização dos órgãos competentes. De acordo com a estimativa da polícia, as vendas com os negócios irregulares da milícia na área de atuação de André Boto renderiam cerca de R$ 12 milhões.