Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    48.955,82
    -1.119,20 (-2,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Polícia Civil prende integrante de facção criminosa especializada em explosões de caixas eletrônicos na Costa Verde

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO — A Policiais Civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) prenderam nesta segunda-feira Andre Marques Gullo, conhecido como Jibóia. Gullo é integrante de uma organização criminosa especializada na explosão de caixas eletrônicos na região da Costa Verde.

Havia contra o criminoso um mandado de prisão preventiva pela prática dos crimes de organização criminosa, roubo duplamente majorado, explosão majorada, incêndio majorado, furto qualificado e porte ilegal de arma de fogo.

O preso é acusado de participar de ataques a caixas eletrônicos situados no bairro Vila da Petrobrás, Angra dos Reis/RJ; a três caixas eletrônicos em Monsuaba, em Angra dos Reis/RJ, bem como a dois cofres fortes do Banco do Brasil no município de Paraty.

Jibóia tinha a função de buscar explosivos no Estado de São Paulo para a sua utilização nos ataques às instituições financeiras. Ele também pilotava lanchas que levavam e davam fuga aos demais integrantes da organização durante os ataques.

A DRF apura o seu envolvimento em recentes ataques a duas agências bancárias ocorridas no início do ano em Angra dos Reis. Após as formalidades legais, o preso será encaminhado à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), ficando à disposição da Justiça.