Mercado fechado

Polícia apreende 5 toneladas de produtos falsificados no Terreirão, Zona Oeste do Rio

Diego Amorim
·1 minuto de leitura
Produtos apreendidos pela polícia estão avaliados em R$ 5 milhões

roupas-eletronicos-falsificados-milicia-policia.jpeg

Produtos apreendidos pela polícia estão avaliados em R$ 5 milhões

RIO — Cinco toneladas de produtos falsificados, entre eles roupas, calçados, bonés e eletrônicos, foram apreendidos nesta terça-feira por agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM). A operação aconteceu na comunidade conhecida como Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio. De acordo com a Polícia Civil, os produtos eram vendidos como se fossem verdadeiros. O material está avaliado em cerca de R$ 5 milhões.

— Estávamos monitorando aquela região há algum tempo. Essa ação já estava prevista para acontecer antes da pandemia, mas tivemos que esperar e conseguimos realizá-la agora. Não houve resistência dos proprietários, que assinaram o termo de compromisso e foram liberados — afirma o delegado Maurício Demétrio, titular da DRCPIM.

Ainda de acordo com o delegado, sete pessoas foram conduzidas à delegacia e responderão por venda de produtos falsificados, crime com pena prevista de reclusão de até três anos. Demétrio destacou ainda que os produtos eram comercializados em sete lojas da região, que deverá ser alvo de novas operações nas próximas semanas.

— Toda a região da Zona Oeste tem sido alvo da DRCPIM, nós vamos seguir fiscalizando todos os bairros de lá, um por um — afirma.

Segundo a polícia, a região é controlada por uma milícia ligada ao grupo de Wellington da Silva Braga, o Ecko, chefe da maior milícia do Rio de Janeiro, que hoje domina os bairros de Campo Grande, Paciência e Santa Cruz, também na Zona Oeste do Rio, além das cidades de Seropédica e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.