Mercado fechará em 4 h 36 min
  • BOVESPA

    113.238,18
    -1.409,81 (-1,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.664,51
    -133,87 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,16
    +0,88 (+1,07%)
     
  • OURO

    1.769,30
    +1,00 (+0,06%)
     
  • BTC-USD

    61.898,16
    +976,67 (+1,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.446,88
    -4,76 (-0,33%)
     
  • S&P500

    4.467,77
    -3,60 (-0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.171,97
    -122,79 (-0,35%)
     
  • FTSE

    7.191,30
    -42,73 (-0,59%)
     
  • HANG SENG

    25.409,75
    +78,75 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.025,46
    +474,56 (+1,66%)
     
  • NASDAQ

    15.156,00
    +21,50 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4186
    +0,0148 (+0,23%)
     

Polêmica no Uruguai após um preso ser abusado por companheiros de cela

·2 minuto de leitura
Plaza Independecia, no bairro de Ciudad Vieja, em Montevidéu (AFP/Eitan ABRAMOVICH)

O caso de um preso que foi sequestrado e brutalmente abusado por companheiros de cela em Montevidéu gera "vergonha", disse nesta segunda-feira (20) o ministro do Interior uruguaio, Luis Alberto Heber, em meio a uma polêmica sobre a situação carcerária no país.

“Viemos para tomar conta dessa situação. É uma situação que dói (...) Temos vergonha de que possa acontecer um caso em nosso país”, disse o ministro em coletiva de imprensa.

O caso ficou conhecido na semana passada por meio de denúncias jornalísticas posteriormente confirmadas pelo próprio Ministério do Interior.

Em nota, o ministério informou que, na tarde de quinta-feira, um preso de 28 anos foi transferido para a enfermaria com quadro de desnutrição.

“Pelas primeiras investigações soube-se que esta pessoa havia sido extorquida e maltratada por um ou mais companheiros de cela durante vários dias”, acrescentou.

Segundo versões jornalísticas, o preso foi torturado, privado de comida e abusado sexualmente por pelo menos 40 dias.

O ministério frisou que a situação da vítima é desconhecida “apesar de os polícias visitarem o módulo semanalmente, verificando o estado das celas”.

Heber descreveu a situação como "altamente preocupante" e relatou que o diretor encarregado do módulo em que o preso foi encontrado foi demitido. Da mesma forma, a carteira ordenou uma investigação interna e apresentou queixa ao Ministério Público.

Enquanto isso, o comissário parlamentar para as prisões, Juan Miguel Petit, declarou que o homem "estava em um estado de estresse pós-traumático semelhante ao de um náufrago ou de alguém que vive em condições extremas".

Petit, que há anos denuncia a violência e as condições insalubres do sistema penitenciário, garantiu que se trata de “um grave problema estrutural que o país tem, uma catastrófica falha estrutural” que transcende os diversos governos.

Depois de uma visita a vários centros de detenção em 2018, o Subcomitê das Nações Unidas para a Prevenção da Tortura observou que as condições de vida em algumas prisões uruguaias são "deploráveis e anti-higiênicas".

gv/dga/ap/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos