Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    37.042,68
    +24,40 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Pois eu nunca saberei...estive ou não ao lado de Diego Maradona durante uma viagem de férias?

Fabio Utz
·2 minuto de leitura

O ano? 2004. O mês? Fevereiro. Ao lado dos meus pais, fazia uma viagem de férias. Depois de passar alguns dias nos Estados Unidos, desembarcamos no México para a parte final daquele roteiro. Na capital do país, conhecemos uma família de chilenos que fazia o mesmo passeio que a gente, mas com um dia de "atraso". Ou seja, deixamos a Cidade do México antes que eles rumo a Taxco e, depois, Acapulco, locais em que ficaríamos hospedados nos mesmos hotéis.

Ivan Romano/Getty Images
Ivan Romano/Getty Images

Claro, acabamos nos reencontrando, mais adiante, na "terra do Chaves". Até aí, tudo tranquilo, tudo era festa, até eu ter conhecimento de uma informação: os chilenos, no hotel em Taxco, encontraram Diego Maradona e até tiraram foto com ele. Confesso que não vi a imagem (eles já tinham câmera digital), mostrada apenas ao meu pai enquanto eu estava tomando banho de mar. Mas, ao saber daquilo, fiquei em choque. Será que eu estava também ao lado de Maradona e não vi? Ou será que ele chegou àquela cidade quando eu já havia me deslocado - afinal, passamos apenas uma noite no local - para o destino final?

Rodrigo Valle/Getty Images
Rodrigo Valle/Getty Images

Enfim, até hoje aquilo não sai da minha cabeça. Fico tentando mentalizar para saber se, na hora do jantar, ele não estava em uma mesa próxima a nós, na qual tinha muita gente reunida. Será? Será possível que eu tenha deixado escapar a oportunidade de ficar lado a lado com quem foi o grande ídolo da minha infância - os dez primeiros anos de minha vida coincidiram com o auge do Pibe de Oro - e que me fez crer em um futebol repleto de magia? Seria impossível não reconhecer Diego, desde que, claro, eu prestasse atenção à minha volta. Agora, jamais saberei se fiz isso ou não. E, também, jamais terei nova oportunidade. Infelizmente.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.