Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.382,38
    -4.064,55 (-7,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Poco M4 Pro 5G deve seguir antecessor e ser versão renomeada de outro modelo

·2 min de leitura

A cada ano se torna mais complexo compreender o portfólio da Xiaomi na íntegra: visando alcançar os mais diversos públicos, é comum que uma linha de aparelhos receba muitas variantes — e elas, por sua vez, recebam nomes diferentes a depender do país em que são vendidas.

Dito isso, não estranhe se o Redmi Note 11 acabar não chegando ao Brasil: isso porque a Xiaomi está publicando teasers do Poco M4 Pro, e seu hardware e design sugerem, fortemente, que ele será a versão global do celular anunciado recentemente na China.

(Imagem: Reprodução/The Pixel/91mobiles)
(Imagem: Reprodução/The Pixel/91mobiles)

Isso, claro, não será um problema: em relação ao Poco M3 Pro 5G, o Poco M4 Pro oferecerá bons upgrades. O primeiro deles é o SoC, que passa de um Dimensity 700 para um Dimensity 810. As câmeras também mudam: o sensor principal passa a ser de 50 MP, e o secundário deixa de ser macro e abraça a fotografia ultrawide — com 8 MP.

Selfies dobram de resolução: de 8 para 16 MP, e o carregamento rápido salta de 18 W para 33 W. Aspectos como tela, porém, não passam por upgrades. O display aumenta de 6,5 para 6,6 polegadas — o que para muitos não chega a ser uma melhoria —, enquanto a resolução permanece Full HD+ com um painel LCD e taxa de atualização de 90 Hz.

Assim como o Redmi Note 11, o modelo contará com conectividade 5G. Pelo histórico da Xiaomi, falta pouco para o novo celular ser anunciado oficialmente — por mais que até seu visual já tenha sido revelado, e seja o que acabou cravando a repaginação do Redmi Note 11 para outros mercados. A empresa tem evento marcado para 9 de novembro.

Redmi Note 11 e Brasil

(Imagem: Reprodução/The Pixel/91mobiles)
(Imagem: Reprodução/The Pixel/91mobiles)

Vale lembrar, o Redmi Note 11 já foi anunciado em três versões — base, Pro e Pro Plus. Não duvide de que a fabricante colocará outros modelos no mercado, mas a principal curiosidade é sobre como os modelos mais avançados serão chamados em sua versão global.

Cabe destacar que a Xiaomi já voltou a atuar oficialmente no Brasil há dois anos, e tem recentemente inaugurado lojas físicas fora de São Paulo. É visível, ainda, a expansão do portfólio, com a chegada de tablets.

A janela entre anúncios lá fora e a oferta dos aparelhos no país também tem sido curta. E a geração Redmi Note 10 veio bem representada para cá — então há grandes elementos para que os Redmi Note 11 venham em breve. A maior dúvida é o nome que eles podem adotar por aqui, já que curiosamente no Brasil tanto o Redmi Note 10 5G quanto o Poco M3 Pro 5G foram lançados, ainda que ambos tragam conjunto virtualmente idêntico, sendo diferenciados apenas nas quantidades de RAM e armazenamento interno.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos