Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.500,04
    +984,89 (+2,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Pneumonia: complicações da COVID-19 podem levar a uso abusivo de antibióticos

·1 minuto de leitura

Um novo estudo da Northwestern University (EUA) destacou que 21% dos pacientes com pneumonia grave causada pelo SARS-CoV-2 (o vírus que causa COVID-19) têm uma superinfecção bacteriana documentada no momento da intubação, o que pode resultar em potencial uso excessivo de antibióticos.

Segundo o estudo, a superinfecção ocorre quando outra infecção se sobrepõe à primeira. Neste caso, a pneumonia bacteriana ocorre durante a pneumonia viral grave, complicando ainda mais o quadro. O estudo mostra que os critérios clínicos usados ​​para diagnosticar a pneumonia bacteriana não conseguiram distinguir entre aqueles com superinfecção bacteriana e aqueles com infecção grave por SARS-CoV-2.

(Imagem: Robina Weermeijer/Unsplash)
(Imagem: Robina Weermeijer/Unsplash)

De acordo com os autores, as diretrizes atuais — que recomendam que os pacientes com pneumonia por SARS-CoV-2 recebam antibióticos administrados com base na presunção de infecção, em vez da detecção real de uma bactéria — são baseadas em "evidências fracas". As taxas de pneumonia de superinfecção em outros ensaios clínicos publicados de pacientes com pneumonia por SARS-CoV-2 são inesperadamente baixas.

A equipe conduziu um estudo observacional de braço único na Northwestern University para determinar a prevalência e a causa da superinfecção bacteriana no momento da intubação inicial. Os autores descobriram que em pacientes com pneumonia causada pela COVID-19 (SARS-CoV-2) que requerem ventilação mecânica, a superinfecção bacteriana no momento da intubação ocorreu em menos de 25% dos casos. A escolha de antibióticos com base em diretrizes no momento da intubação teria resultado em um uso excessivo desses remédios.

O estudo foi financiado pelo National Institutes of Health e pode ser acessado completo aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos