PMI chinês e leilão espanhol ajudam bolsas da Europa

As bolsas da Europa fecharam em alta moderada nesta quinta-feira, impulsionadas por um dado positivo sobre a atividade industrial na China, as esperanças de um acordo sobre a liberação da ajuda à Grécia e um leilão bem-sucedido de bônus da Espanha. O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,59%, fechando a 271,70 pontos.

A leitura preliminar do índice de atividade dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da China, medido pelo HSBC, subiu para 50,4 em novembro, de 49,5 em outubro. É a primeira vez em 13 meses que o índice fica acima de 50, o que indica expansão da atividade.

Indicadores econômicos europeus não trouxeram boas notícias, no entanto. A atividade industrial da zona do euro seguiu em território que indica contração pelo décimo mês consecutivo em novembro, apesar de ter subido para 45,8, de 45,7 em outubro, mas a notícia teve pouco impacto no mercado.

Os investidores preferiram se concentrar na Grécia e acompanhar a reunião de dois dias de líderes da União Europeia, em Bruxelas, para discutir a proposta de orçamento do período 2014-2020. Há ainda diferenças significantes entre os Estados membros sobre o tamanho do orçamento.

Em relação à Grécia, as esperanças sobre uma solução para os problemas de financiamento do país foram alimentadas com declarações do comissário de Assuntos Econômicos e Monetários da UE, Olli Rehn. Ele disse que não há motivo para que não seja fechado um acordo sobre a Grécia na segunda-feira, quando ministros de Finanças da zona do euro voltarão a se reunir para discutir o assunto.

Já a Espanha teve sucesso em um leilão de bônus na manhã desta quinta-feira, atraindo investidores que estão mais tranquilos desde que o país garantiu, em ofertas de dívida anteriores, o financiamento que precisa para o ano de 2012. O Tesouro Espanhol vendeu 3,88 bilhões de euros em três bônus, acima do teto da faixa pretendida.

Nesse cenário, o índice DAX da Bolsa de Frankfurt teve alta de 0,84% e fechou a 7.244,99 pontos. Os papéis da companhia aérea Lufthansa tiveram valorização de 4,86%. O setor bancário também teve um bom desempenho, com Commerzbank (+6,20%) e Deutsche Bank (+1,63%).

Em Paris, o índice CAC-40 avançou 0,60%, fechando a 3.498,22 pontos. A Alcatel-Lucente disparou 15,91%, após uma notícia da Bloomberg de que a companhia e o Goldman Sachs estão conversando sobre um novo financiamento. A Solvay encerrou a sessão com alta de 2,88% e a Alstom subiu 1,98%.

Já o índice FTSE, da Bolsa de Londres, subiu 0,68% e fechou a 5.791,03 pontos. As ações da SABMiller avançaram 6,38%, após a companhia divulgar seu balanço trimestral. Entre outros destaques de alta aparecem as mineradoras Anglo American (+1,37%) e Eurasian Natural Resources (+1,30%).

O índice ASE, que reúne as principais ações negociadas na Bolsa de Atenas, teve alta de 1,99%, encerrando o dia aos 846,80 pontos, seu maior nível desde 26 de outubro. Os bancos se destacaram, com ganhos do Eurobank Ergasias (+10,29%), National Bank of Greece (+7,27%), Alpha Bank (+5,98%) e Piraeus Bank (4,32%).

O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, registrou ganho de 0,31%, fechando a 5.319,83 pontos. O índice FTSE-Mib, da Bolsa de Milão, teve alta de 1,03%, fechando a 15.553,62 pontos. Já na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 avançou 0,90% e fechou a 7.875,60 pontos. As informações são da Dow Jones.

Carregando...