Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    36.664,05
    +307,45 (+0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

PM é suspeito de matar a esposa e postar foto do corpo nas redes da vítima

Redação Notícias
Patrícia, de 23 anos, foi morta a tiros na última segunda-feira (Foto: Reprodução/Redes sociais)
Patrícia, de 23 anos, foi morta a tiros na última segunda-feira (Foto: Reprodução/Redes sociais)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Foto do corpo foi postada com a frase ‘fui trair meu marido polícia deu nisso’

  • Após dois dias desaparecido, o PM se apresentou à polícia

Patrícia Salviano Irrthum, de 23 anos, foi encontrada morta na segunda-feira (4) na cidade Vespasiano (MG). Ela tinha marcas de tiros na nuca, no rosto e no peito, e no dia do crime uma foto do corpo foi divulgada nas redes sociais com o texto “fui trair meu marido ‘polícia’ deu nisso”. Após dois dias desaparecido, o marido dela se apresentou à Polícia Civil.

O sargento Glaysson de Souza Costa, de 46 anos, não era encontrado desde o dia do crime. Na noite da última quarta-feira (6), ele voluntariamente se apresentou para prestar depoimento na Central de Flagrantes (Ceflan), em Belo Horizonte, e relatou à polícia a sua versão dos fatos.

Leia também

O policial militar é o principal suspeito do assassinato de Patrícia e trabalha no 16º Batalhão da PM, que fica na capital mineira. De acordo com a PM, Glaysson estaria de licença médica.

A advogada que o defende é Brenda Ribeiro. Em entrevista à TV Globo, ela reiterou que o militar passa por problemas de saúde. Ela também afirmou que ele não tem intenção de fugir e está colaborando com as investigações sobre o assassinato da esposa. Glaysson vai aguardar a investigação do caso em liberdade, já que não há mandado de prisão em aberto.

Brenda disse, ainda, que é prematuro falar em autoria do crime, e se recusou a comentar sobre as postagens feitas na rede social da vítima.

Frase foi postada nas redes da vítima com uma foto do corpo (Foto: Reprodução/Redes sociais)
Frase foi postada nas redes da vítima com uma foto do corpo (Foto: Reprodução/Redes sociais)