Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.394,33
    +62,90 (+0,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Microsoft culpa Sony por falta de Playstation no Game Pass

Sony e Microsoft estão em um embate público após atrasos na aprovação da fusão da dona do Xbox com a Activision Blizzard no Reino Unido (Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Sony e Microsoft estão em um embate público após atrasos na aprovação da fusão da dona do Xbox com a Activision Blizzard no Reino Unido (Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Empresas estão em um embate público por conta da fusão da Microsoft com a Activision Blizzard;

  • Sony teria negado a disponibilização do Game Pass em seu console, o PlayStation;

  • Para a Microsoft, Sony optou por priorizar o seu próprio lucro em vez do acesso a jogos pelos consumidores.

O serviço de assinatura de jogos da Microsoft, Game Pass, disponível no Xbox, no PC e até mesmo em algumas smart tvs, poderia também estar disponível no PlayStation, se não fosse um boicote da Sony.

A revelação foi dada em meio a uma batalha pública entre as duas empresas por conta de atrasos na aprovação da fusão entre a Microsoft e a Activision Blizzard no Reino Unido. Segundo a empresa americana, a sua rival japonesa estaria influenciando as decisões do órgão regulatório no país.

Para seguir em frente, a união das duas empresas precisa ser aprovada pelas maiores agências regulatórias do mercado, como a americana, a europeia e a chinesa. No Brasil o acordo já foi aprovado pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

A Sony está se posicionando abertamente contra a fusão das duas empresas, afirmando que o acordo será "ruim para a concorrência, ruim para a indústria e ruim para os próprios jogadores".

Entretanto, a Microsoft afirmou na última quarta-feira que a empresa tem feito mais do que se posicionar abertamente, e estaria fazendo um lobby para que a Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA) britânica, órgão semelhante ao CADE brasileiro, impedisse a fusão.

A empresa dona do Xbox ainda destaca que não irá causar prejuízos à Sony por sua obtenção do controle de grandes franquias de jogos da Activision Blizzard, como Call of Duty. Um documento obtido pelo jornalista Tom Warren destaca que a Microsoft argumentou que a aquisição "benéfica para jogadores, aumentando a qualidade do serviço e expandindo o acesso de conteúdo da Activision Blizzard".

"Este aumento de competitividade não foi bem recebido pela líder de mercado Sony, que escolheu proteger sua receita de vendas de novos lançamentos de jogos, em vez de oferecer aos jogadores a opção de acessá-los através de sua assinatura, o PlayStation Plus."