Mercado abrirá em 2 h 42 min

PlayStation 5 | Sony diz que console não será barato, mas valerá a pena

Wagner Wakka

O PlayStation 5 não deve ser um console barato, mas a Sony quer fazer o dinheiro compensar. Em entrevista ao Gameindustry, o CEO do braço de entretenimento interativo da companhia, Jim Ryan, disse que um dos desafios da gigante dos games está exatamente em balancear salto de qualidade e custo.

“Aacho que o melhor que podemos fazer diante disso [consequências da pandemia] é oferecer o melhor valor que pudermos. Isso não significa o menor preço”, comentou. Aqui, vale uma pequena explicação sobre a diferença entre valor e preço de um produto.O preço é relativo à quantia necessária para comprar o console. Já o valor é a base subjetiva para avaliar se o custo vale ou não a pena. Desta forma, o que Ryan quer dizer é que o produto pode até ser caro, mas que a Sony quer que o investimento compense.

“O valor é a combinação de várias coisas. Na nossa área, significam os jogos, o número de jogos, a profundidade dos jogos, a abrangência, qualidade, preços dos games, todas estas coisas”, considera.

A companhia ainda não disse quanto o PlayStation 5 vai custar. A expectativa é de que ele chegue ao mercado norte-americano por US$ 450 a US$ 500, ou seja, entre R$ 2.400 a R$ 2.670 na cotação atual. Contudo, devido a variações do dólar e a dificuldades de importação com fronteiras fechadas por conta da COVID-19, ainda é um desafio saber qual será o preço do aparelho no mercado brasileiro.

Ryan já disse que o console será novamente montado na China e ressaltou que os engenheiros de hardware estão trabalhando com fornecedores de modo remoto. Como centro inicial da pandemia, o país asiático decretou a paralisação de produções no início do ano, atrasando a linha de produção de vários setores. A Sony, entretanto, mantém o discurso de que o PlayStation 5 chegará ainda no final deste ano.

O CEO também lembra que o mercado tem ganhado força desde o início da pandemia. “A história recente nos mostra que videogame é um dos passatempos e um dos negócios que se beneficia com momento de dificuldade econômica."

De fato, o mercado de games se mostra fortalecido em meio à derrocada de outros setores de entretenimento. Um demonstrativo disso são números do Steam, que passou da marca de 20 milhões de usuários online simultaneamente em meio à COVID-19.

A Sony tinha evento agendado nesta quinta-feira (4), em transmissão on-line, mas decidiu adiar, devido aos confrontos intensos nos Estados Unidos. O programa teria uma hora, com apresentação de jogos, e ainda não tem nova data.

Fonte: Canaltech