Mercado abrirá em 9 h 37 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,90
    +0,52 (+0,82%)
     
  • OURO

    1.773,20
    +2,60 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    54.550,27
    -2.140,90 (-3,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.243,66
    -55,29 (-4,26%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.083,01
    -23,14 (-0,08%)
     
  • NIKKEI

    29.150,71
    -534,66 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.921,00
    +23,75 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    +0,0186 (+0,28%)
     

Plataforma de games Roblox estreia na Bolsa de Nova York

·1 minuto de leitura
A Roblox permite a seus 33 milhões de usuários, metade deles menores de 13 anos, experimentar milhares de jogos e até mesmo se tornarem criadores de videogames

A plataforma de videogames colaborativos Roblox, sucesso entre crianças e jovens durante o confinamento, estreou com força nesta quarta-feira na Bolsa de Nova York, superando 40 bilhões de dólares de capitalização.

A ação (RBLX), lançada a um preço de referência de 45 dólares, foi negociada a 70 dólares (+55%) nas primeiras operações. "A Roblox, esse peso pesado dos videogames que fez as vezes de babá pelo mundo durante a pandemia, lança sua oferta pública inicial nesta quarta-feira e a comoção midiática não poderia ser maior", comentou o analista Boris Schlossberg, da BK Asset Management.

A pequena plataforma independente viu sua popularidade disparar com o fechamento das escolas. A Roblox permite a seus 33 milhões de usuários, metade deles menores de 13 anos, experimentar milhares de jogos e, até mesmo, tornarem-se criadores de videogames, que, em seguida, são compartilhados e vendidos.

A plataforma também se tornou uma rede social, "uma comunidade, um lugar para a troca de experiências humanas", declarou seu diretor geral, David Baszucki, 58, empresário canadense que lançou o serviço em 2006.

"A questão para o futuro é se a empresa poderá construir sua marca sobre sua base de usuários, que teve um crescimento enorme por causa da pandemia, a fim de criar um negócio sustentável e rentável", assinalou Boris Schlossberg.

vmt/jum/jul/sr/gma/dga/lb