Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    45.534,89
    -2.269,36 (-4,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Plataforma ajuda no preparo e entrega da declaração de IR pelo smartphone

Rui Maciel
·3 minuto de leitura

A EY, empresa global especializada em serviços de Auditoria, Consultoria, Impostos, Estratégia e Transações, anunciou nesta terça-feira (16) o lançamento do EY TaxChat, uma plataforma digital para smartphones e tablets, que oferece suporte à declaração do Imposto de Renda Pessoa Física. É o primeiro aplicativo voltado à declaração de impostos e o primeiro serviço da EY direcionado ao consumidor final.

Segundo a EY, o objetivo da plataforma é tornar o processo de declaração do Imposto de Renda mais simples, rápido e confiável. O aplicativo conecta contribuintes pessoas físicas aos profissionais da EY especialistas em tributação. Eles poderão ajudar o usuário a evitar os erros e complicações comuns nesse procedimento.

A EY afirma que o aplicativo é capaz de receber toda a documentação necessária em formato digital e elaborar e entregar a declaração em um ambiente 100% online. O EY-TaxChat™ já está disponível nos Estados Unidos, no Canadá, no Reino Unido e na Austrália.

Já no Brasil, dado o tamanho do mercado e a complexidade do tema, a expectativa é que a ferramenta ajude a minimizar erros no preenchimento das declarações. Em 2020, 34 milhões de contribuintes brasileiros entregaram a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física e, segundo dados da EY, 60% deste público o fez por conta própria, sem o apoio de especialistas, correndo o risco de cometer enganos por desconhecimento ou de não aproveitarem todas as deduções ou cenários mais vantajosos possíveis.

Tela do EY Tax Chat: processo de declaração do IR pode ser feito direto no smartphpne (Imagem: Divulgação EY)
Tela do EY Tax Chat: processo de declaração do IR pode ser feito direto no smartphpne (Imagem: Divulgação EY)

Segundo Tatiana da Ponte, sócia líder do Digital Foundry da EY, área responsável pela implementação do EY TaxChat no Brasil, a ideia é fazer com que as pessoas eliminem qualquer tipo de dificuldade no processo e tenham o apoio dos especialistas da empresa:

"O contribuinte precisará apenas enviar digitalmente a documentação necessária para munir a ferramenta das informações. Não há necessidade de encontros presenciais com especialistas ou de manipular papeis. A grande vantagem é que tudo passa a ser feito de um jeito mais simples e virtual".

O EY TaxChat está disponível nas versões Android e iOS e em versão Windows. O prazo para registro na plataforma se encerra no dia 25 de abril, para ser possível entregar a declaração dentro do cronograma estabelecido pelo governo brasileiro, mas a EY fornece descontos para os cadastros realizados até 28 de fevereiro. O serviço custa a partir de R$ 250.

Segurança dos dados

A EY destaca que para garantir a segurança dos dados e dos documentos, o EY TaxChat faz uso de diversos protocolos de criptografia. Além disso, há uma uma equipe de tecnologia preparada para que a proteção ocorra em todos os momentos do processo.

Após a entrega da declaração, os usuários receberão um alerta informando os procedimentos para realizar o pagamento mediante cartão de crédito. A partir daí, será enviado um rascunho da declaração do Imposto de Renda para fins de revisão.

O serviço estará disponível durante todo o ano, mesmo após o fim do prazo para a entrega da declaração, no dia 30 de abril. Isso para permitir o envio de retificações; cálculos mensais (carnê-leão sobre alugueis; renda variável ou ganho de capitais na venda de bens); ou até mesmo armazenamento das informações em tempo real, à medida em que forem sendo recebidas, para que na época do imposto grande parte da documentação já esteja disponível.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: