Mercado abrirá em 9 h 43 min
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,40
    +0,17 (+0,24%)
     
  • OURO

    1.763,40
    -15,40 (-0,87%)
     
  • BTC-USD

    43.664,44
    +1.507,38 (+3,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.096,53
    +56,05 (+5,39%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.083,37
    +102,39 (+1,47%)
     
  • HANG SENG

    24.463,86
    +242,32 (+1,00%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.195,50
    +32,00 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2146
    +0,0058 (+0,09%)
     

Plantio de milho 21/22 do centro-sul do Brasil atinge 4,1% da área, diz AgRural

·1 minuto de leitura
Lavoura de milho em Campo Novo do Parecis (MT)

SÃO PAULO (Reuters) - O plantio de milho verão no centro-sul do Brasil na nova safra (2021/22) havia atingido 4,1% da área até a última quinta-feira, em ritmo inferior ao índice registrado no mesmo período do ano passado (5,7%), apontou nesta segunda-feira a consultoria AgRural.

"Os trabalhos são puxados pelo Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Algumas poucas áreas também já começaram a ser semeadas no Paraná, mas são casos muito pontuais", comentou a AgRural em nota.

Apesar de o plantio já estar em curso, "os produtores avançam com cautela, já que novas frentes frias podem resultar em geadas e consequentes problemas de germinação, a exemplo do que aconteceu no ano passado na fronteira oeste gaúcha".

Já a colheita da segunda safra 2020/21 atingiu 79% da área, após avanço de nove pontos percentuais em uma semana, de acordo com levantamento da AgRural. Um ano antes, a colheita estava feita em 82% da área.

"Os trabalhos de colheita estão encerrados em Mato Grosso e tiveram bom avanço nos outros Estados, favorecidos pelo aumento das temperaturas", disse.

No Paraná, porém, o atraso continua grande e há preocupação com a possibilidade de chuvas nos próximos dias, "que podem resultar em problemas de qualidade ainda maiores", após geadas atingirem o cereal paranaense.

(Por Roberto Samora)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos