Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.912,75
    +383,78 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,31
    -1,36 (-2,17%)
     
  • OURO

    1.793,60
    +15,20 (+0,85%)
     
  • BTC-USD

    55.627,00
    -101,63 (-0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.282,46
    +19,50 (+1,54%)
     
  • S&P500

    4.161,56
    +26,62 (+0,64%)
     
  • DOW JONES

    34.064,90
    +243,60 (+0,72%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.850,75
    +56,50 (+0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6994
    -0,0031 (-0,05%)
     

Planos de saúde: operadoras terão de explicar ao governo reajuste de preços durante a pandemia

Luciana Casemiro
·1 minuto de leitura

RIO - As operadoras de planos de saúde terão que dar explicações sobre os reajustes aplicados durante a pandemia ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC). O órgão do Ministério da Justiça notificou as empresas.

Possíveis distorções nos preços dos planos levaram consumidores mais vulneráveis, e sem meios de negociar com as empresas, a enfrentarem aumentos maiores que os registrados nos grandes contratos, que tiveram até queda de valor em alguns casos.

O impacto varia para cada consumidor, mas calculadora do GLOBO estima a variação caso a caso.

Para encerrar o problema, o DPDC avalia que seria preciso assinar um termo de ajustamento de conduta (TAC) com as operadoras de saúde. O objetivo é equacionar problemas com os reajustes aplicados no ano passado, com os cerca de 20 milhões de contratos que tiveram aumento suspenso e, agora, têm de pagar não apenas o novo índice, mas também a recomposição do valor que deixou de ser cobrado.