Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.005,22
    +758,07 (+0,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.289,91
    +895,88 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,55
    -0,66 (-0,59%)
     
  • OURO

    1.840,20
    -1,00 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    30.144,88
    +1.198,24 (+4,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    670,68
    +18,45 (+2,83%)
     
  • S&P500

    3.900,79
    -22,89 (-0,58%)
     
  • DOW JONES

    31.253,13
    -236,94 (-0,75%)
     
  • FTSE

    7.302,74
    -135,35 (-1,82%)
     
  • HANG SENG

    20.120,68
    -523,60 (-2,54%)
     
  • NIKKEI

    26.533,90
    +131,06 (+0,50%)
     
  • NASDAQ

    11.956,00
    +77,75 (+0,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1719
    -0,0469 (-0,90%)
     

Planos de Musk agradam maior agência de publicidade do mundo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- O CEO da maior agência de publicidade do mundo disse que os planos de Elon Musk para o Twitter podem melhorar o atendimento da empresa sediada em Londres e serem bem recebido pelos seus clientes.

“Não há dúvida de que o Twitter pode ser um produto mais forte”, disse na quarta-feira o CEO da WPP, Mark Read, em entrevista a Bloomberg Television com Francine Lacqua e Tom Mackenzie.

“Muitas de suas ideias sobre bots falsos, melhorar os algoritmos e melhorar a experiência do cliente seriam ótimas para a plataforma, ótimas para os usuários e ótimas para nossos clientes”, disse ele.

Read também disse que qualquer potencial corte de publicidade prejudicaria mais o Twitter do que a WPP, embora tenha dito que não espere isso. “Não acho que ele vá pagar US$ 44 bilhões por uma empresa e então eliminar efetivamente sua linha de receita”, disse Read.

Os comentários do CEO seguem a afirmação de Musk de que ele não tem expectativa de lucrar com o Twitter, antes de chegar a um acordo para comprar a plataforma de mídia social na segunda-feira.

“Esta não é uma maneira de ganhar dinheiro”, disse Musk em 14 de abril. Ele insistiu que seu interesse no Twitter era puramente benevolente. “Não me importo nem um pouco com o aspecto financeiro.”

O bilionário falou sobre limitar a publicidade no Twitter, abrir os algoritmos de conteúdo do site para escrutínio público e tentar “autenticar todos os humanos reais” para diferenciar bots de contas legítimas.

Musk também disse que gostaria de tornar a plataforma um bastião da liberdade de expressão e retirar as barreiras da moderação de conteúdo.

Alguns anunciantes advertiram que isso poderia desencorajar marcas preocupadas com a exibição de seus anúncios perto de posts controversos. Analistas financeiros também disseram que a moderação reduzida poderia colocar a receita com anúncios em risco.

“Sem dúvida, algumas pessoas estão preocupadas com o conteúdo da plataforma”, disse Read. “Esse tipo de abordagem pode funcionar, pode não funcionar, teremos que ver.”

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos