Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.399,05
    -1.592,48 (-4,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Plano de ‘aperto quantitativo’ do BOE pode trazer mais surpresas

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Já conhecido pela imprevisibilidade, o Banco da Inglaterra poderia ficar muito mais indecifrável com uma nova ferramenta de aperto monetário em ação.

Most Read from Bloomberg

O chamado aperto quantitativo - o processo de anos de reversão das compras de títulos do governo pelo BOE - poderia ser iniciado se o banco central britânico aumentar os juros para um nível-chave na próxima reunião em fevereiro. Ainda assim, com o risco das restrições da Covid-19 para o cenário econômico, operadores fazem apostas sobre quando e como a estratégia será introduzida.

Surpreender investidores e analistas tem se tornado uma marca registrada do BOE, com respostas drásticas do mercado a decisões que marcam uma mudança depois de anos de relativa calma. E paparicar os mercados não parece estar na agenda do atual presidente do BOE, Andrew Bailey, ou do economista-chefe, Huw Pill.

“Agora realmente é um cenário do tipo ‘reunião após reunião’”, disse, Sanjay Raja, economista para o Reino Unido do Deutsche Bank em Londres, e um dos poucos a prever o aumento dos juros pelo BOE na reunião de dezembro.

O mercado busca adivinhar os passos do BOE a partir do relatório de estratégia publicado em meados do ano. Assim que a taxa de referência chegar a 0,5%, o banco central disse que vai parar de reinvestir os recursos de títulos a vencer, reduzindo o portfólio automaticamente quando a dívida vencer. Isso tem levado a apostas em uma curva mais inclinada dos gilts, os títulos do Tesouro britânico, já que dívidas de prazo mais longo suportariam o peso do aperto quantitativo.

Estrategistas de bancos como Deutsche Bank, RBC Capital Markets, Nomura International e Mizuho International projetam que a taxa do BOE alcançará o nível de 0,5% em fevereiro de 2022. Isso resultaria em um resgate de 28 bilhões de libras (US$ 37 bilhões) com vencimento em março, que sairiam dos livros do banco central e marcariam o fim das intervenções do BOE no mercado em um futuro próximo.

O próximo passo do BOE significaria uma potencial venda ativa de gilts depois que a taxa chegar a 1%, nível que os mercados monetários acreditam que será atingido em agosto.

Na prática, como o governo do Reino Unido deixou a porta aberta a novas restrições da Covid-19 e com casos próximos a níveis recordes, analistas alertam que o impacto na economia pode impedir uma implementação direta da estratégia de aperto quantitativo.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos