Mercado abrirá em 8 h 32 min
  • BOVESPA

    101.016,96
    -242,79 (-0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.245,86
    -461,86 (-1,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,69
    +0,13 (+0,34%)
     
  • OURO

    1.910,60
    +4,90 (+0,26%)
     
  • BTC-USD

    13.105,34
    -3,44 (-0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,08
    -2,33 (-0,88%)
     
  • S&P500

    3.400,97
    -64,42 (-1,86%)
     
  • DOW JONES

    27.685,38
    -650,19 (-2,29%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.652,82
    -265,96 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    23.428,70
    -65,64 (-0,28%)
     
  • NASDAQ

    11.495,00
    +2,75 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6446
    +0,0041 (+0,06%)
     

“Planeta pi”: astrônomos descobrem exoplaneta com período orbital de 3,14 dias

Danielle Cassita
·3 minutos de leitura

Uma equipe de cientistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT), junto de pesquisadores de outras instituições, fez uma descoberta capaz de maravilhar matemáticos e astrônomos de uma só vez: com análises dos dados da missão K2, do telescópio espacial Kepler, eles encontraram uma “Terra pi”, ou seja, um planeta que tem tamanho semelhante à Terra e orbita sua estrela a cada 3,14 dias.

Os pesquisadores analisaram o sistema do planeta no início deste ano com o The Search for habitable Planets EClipsing ULtra-cOOl Stars (SPECULOOS), uma rede de telescópios no solo do deserto do deserto do Atacama. Geralmente, os astrônomos observam estrelas individuais em busca de sinais que indiquem que um planeta está passando na frente daquela estrela — ou seja, sinais do trânsito planetário. Assim, Prajwal Niraula, estudante de graduação no departamento Department of Earth, Atmospheric and Planetary Sciences (EAPS), do MIT, encontrou uma anã branca nos dados coletados pela missão K2, a segunda missão de observação do telescópio Kepler.

Niraula analisou os dados e encontrou "falhas" na luz da estrela EPIC 249631677, que pareciam se repetir a cada 3,14 dias. Depois de estudarem os sinais e testarem diferentes cenários para a origem deles, a equipe concordou que se tratava de um trânsito planetário, e que precisavam olhar a estrela mais de perto. Para isso, eles tiveram que identificar uma janela de tempo para verem o trânsito. Com um algoritmo de previsão do tempo, a equipe descobriu algumas noites de fevereiro de 2020 que poderiam permitir a visualização do planeta. Eles apontaram os telescópios do SPECULOOS na direção da estrela e viram dois trânsitos no hemisfério sul e um no norte.

Representação artística do planeta "pi" e sua estrela (Imagem: Reprodução/Sci-News.com/Scinews)
Representação artística do planeta "pi" e sua estrela (Imagem: Reprodução/Sci-News.com/Scinews)

Niraula explica que "o planeta se move de forma tão precisa quanto o mecanismo de um relógio". O novo planeta foi chamado de K2-315b, e é o 315º sistema planetário descoberto dentro dos dados da K2 — que é simplesmente um sistema tímido em um local bastante promissor. Os pesquisadores estimam que o K2-315b tem raio que equivale a 0,95 do da Terra, de modo que tem tamanho bem semelhante ao do nosso planeta. Ele orbita uma estrela fria que tem tamanho equivalente a um quinto do nosso Sol a uma velocidade de 81 quilômetros por segundo.

Os cientistas ainda não determinaram a massa do K2-315b, mas suspeitam que seja semelhante à do nosso planeta. Entretanto, o "planeta pi" provavelmente não é habitável, porque ele está tão perto de sua estrela que as temperaturas por lá devem atingir os 350 °C. Mesmo assim, este mundo é um bom candidato para estudos sobre sua atmosfera. "Agora, sabemos que podemos procurar e extrair planetas de dados de arquivos, e esperamos que não tenha sobrado nenhum, especialmente os importantes como este que têm um grande impacto", diz de Wit, professor assistente no EAPS.

Para a equipe, o K2-315b é um candidato promissor para ser acompanhado pelo telescópio espacial James Webb para análises de sua atmosfera. Enquanto estes estudos não começam, eles estão verificando outras bases de dados e observando o céu para buscar sinais de outros planetas semelhantes à Terra. "Com algoritmos melhores, esperamos que algum dia possamos procurar planetas menores, talvez tão pequenos quanto Marte", finaliza Niraula.

O artigo do estudo, intitulado “π Earth: a 3.14-day Earth-sized Planet from K2’s Kitchen Served Warm by the SPECULOOS Team”, foi publicado na revista Astronomical Journal.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: