Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.582,33
    -121,00 (-0,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

PL prevê dedução no Imposto de Renda dos gastos com remédios de uso contínuo

PL 1457/22 prevê a dedução dos gastos com medicamentos de uso contínuo e de valor alto na declaração anual do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (Getty Creative)
PL 1457/22 prevê a dedução dos gastos com medicamentos de uso contínuo e de valor alto na declaração anual do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (Getty Creative)
  • Projeto de Lei prevê a dedução dos gastos com medicamentos de uso contínuo e de valor alto na declaração anual do Imposto de Renda

  • Regra valerá por cinco anos a partir de janeiro do ano seguinte ao da sanção da futura lei

  • Medicamentos com direito à dedução na base de cálculo do IRPF serão aqueles indicados para tratamento de Aids, câncer, diabetes, doenças cardíacas crônicas e fibromialgia

Um Projeto de Lei, que já foi aprovado pelo Senado, poderá auxiliar quem depende de medicamentos de custo elevado. O PL 1457/22 prevê a dedução dos gastos com medicamentos de uso contínuo e de valor alto na declaração anual do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (IRPF).

De acordo com a Agência Câmara de Notícias, a regra valerá por cinco anos a partir de janeiro do ano seguinte ao da sanção da futura lei. "Entre outros definidos em regulamento, os medicamentos com direito à dedução na base de cálculo do IRPF serão aqueles indicados para tratamento de Aids, câncer, diabetes, doenças cardíacas crônicas e fibromialgia", afirma o texto.

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação, de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba como economizar na compra de medicamentos

Pesquise preços: diferentes farmácias podem listar preços bem diferentes para o mesmo medicamento, por isso é recomendável que se faça uma busca antes de se comprometer a uma compra. Muitas farmácias também podem ter descontos nos valores na loja física e na online, com o comprador podendo retirar de graça em alguma farmácia da rede.

Peça pelo genérico: Além de realizar a pesquisa de preços, peça ao farmacêutico para ver quanto está a versão genérica do medicamento. Este é, muitas vezes, mais barato e mais em conta do que a versão de marca. Para facilitar, na hora de receber a receita do médico, peça que ele coloque o princípio ativo ao invés do nome.

Entre no programa de fidelidades: diversas farmácias tem programas de fidelidade, onde são oferecidos descontos para o consumidor em diversos medicamentos, além de ofertas relâmpago para remédios mais comuns. Também é possível se cadastrar nos programas dos laboratórios, que também são aceitos pelas farmácias, e também podem resultar em bons descontos.

Se cadastre no Farmácia Popular: O Programa Farmácia Popular, do governo federal, oferece um abatimento de até 90% no valor do medicamento. Para se beneficiar é preciso estar cadastrado no programa, se apresentar em uma farmácia credenciada munido de identidade e apresentar a receita, que não precisa ser de um médico do Sistema Único de Saúde (SUS).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos