Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.011,68
    -3.641,09 (-9,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Pixel Watch poderá ter processador produzido pela Samsung e recursos exclusivos

·3 min de leitura

Novas informações relacionadas com o Pixel Watch mostram que o primeiro relógio do Google poderá ter processador produzido pela Samsung. O produto ainda deverá oferecer recursos exclusivos no sistema operacional WearOS 3, em conjunto com a próxima geração do Google Assistente.

Pixel Watch poderá ter alta integração entre componentes e sistema operacional (Imagem: Jon Prosser/Renders By Ian)
Pixel Watch poderá ter alta integração entre componentes e sistema operacional (Imagem: Jon Prosser/Renders By Ian)

Ainda não é certo se o chip fará parte da linha Exynos (como o W920 presente no Galaxy Watch 4), ou se será nomeado como Tensor. De qualquer forma, o componente deverá ser fabricado pela marca sul-coreana, que já compartilha tecnologias com a Gigante das Buscas no processador dos aparelhos Pixel 6 e Pixel 6 Pro.

Os relógios mais recentes da Samsung também apresentam um alto nível de colaboração entre as duas marcas no sistema operacional. Isso permitiu que a série Galaxy Watch chegasse com o que há de mais avançado no WearOS, situação que poderá ser modificada a partir do momento em que o Google começar a apresentar seus próprios relógios.

Um requisito que o Google teria colocado para o chipset do Pixel Watch seria a necessidade de processamento de comandos de voz de forma direta, sem depender de microfones de um smartphone pareado, por exemplo. Isso tornaria possível fazer com que as informações pedidas fossem interpretadas diretamente no dispositivo, e não em um servidor externo — o que contribui muito na agilidade do processo e também na privacidade e segurança dos dados.

De acordo com imagens de um emulador do Wear OS 3, o indicativo visual de que a assistente está ativada será similar ao já implementado nos smartphones com Android. Ou seja, a tela mostrará apenas uma barra nas quatro cores do Google (vermelho, amarelo, azul e verde), posicionada na seção inferior, sem ocupar o display todo — a mesma foto ainda mostra um segundo botão na parte lateral, algo que as renderizações divulgadas até o momento não têm.

Indicação visual do Google Assistente será pouco intrusiva (Imagem: 9to5Google)
Indicação visual do Google Assistente será pouco intrusiva (Imagem: 9to5Google)

Códigos reforçam possível nomenclatura "Pixel"

O Google costuma dar várias dicas em códigos internos do sistema operacional Android, como o "PIXEL_EXPERIENCE_2021" que fazia referência ao lançamento da linha Pixel 6, ou o “PIXEL_EXPERIENCE_2020_MIDYEAR” que foi relacionado ao Pixel 5a. Em uma atualização recente de um aplicativo da marca, foi descoberta uma menção a “PIXEL_EXPERIENCE_WATCH”.

Relógio deverá ter visual minimalista e várias opções de pulseiras (Imagem: Jon Prosser/Renders By Ian)
Relógio deverá ter visual minimalista e várias opções de pulseiras (Imagem: Jon Prosser/Renders By Ian)

A aparição do código não somente reforça a possibilidade da utilização da nomenclatura "Pixel", mas também indica que o relógio deverá ter recursos exclusivos não existentes em outros smartwatches com o WearOS — ainda não se sabe o que o produto poderá ter de diferente, mas é provável que o Google implemente várias novidades relacionadas com inteligência artificial, assim como ocorreu na série Pixel 6.

Ainda não existe uma data oficial para o lançamento da linha Pixel Watch, mas é bastante provável que ela apareça em algum momento de 2022. Portanto, a marca pode optar por aguardar até o evento MadeByGoogle em outubro, ou adiantar a apresentação em alguns meses. A Fitbit, marca subsidiária do Google, também pode apresentar um relógio com componentes similares, porém mais voltado para o fitness, com recursos especiais de saúde e bem-estar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos