Mercado abrirá em 5 h 6 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,47
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.892,80
    +2,10 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    22.707,46
    -499,03 (-2,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    523,05
    -13,84 (-2,58%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.598,24
    +314,72 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    27.584,35
    -22,11 (-0,08%)
     
  • NASDAQ

    12.597,00
    +51,75 (+0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5799
    +0,0125 (+0,22%)
     

Pixel 7 Pro, S22 Ultra e iPhone 14 Pro Max: existe o melhor topo de linha?

É possível definir qual é o melhor celular topo de linha do mercado? Eu já testei dezenas de celulares nos últimos anos e posso dizer com tranquilidade que o segmento avançado é o menos diverso, já que precisa seguir um padrão de componentes e tecnologias para entregar sempre a melhor experiência ao usuário.

Três ótimos exemplos são o Pixel 7 Pro, o Samsung Galaxy S22 Ultra e o iPhone 14 Pro Max. Eles possuem o que há de mais moderno na indústria mobile, mas, com exceções no design e no software, são bastante parecidos em quase todos os quesitos. Afinal, existe o melhor celular topo de linha, ou apenas o melhor para cada usuário?

Pensando nisso, decidi experimentar os três smartphones premium mais atuais de Samsung, Google e Apple, para conferir se realmente há um vencedor por aqui. A ideia é contar minha experiência de uso com os três modelos nos principais tópicos, como construção, qualidade de tela, câmera, desempenho, e experiência de uso.

Construção e design

  • iPhone 14 Pro Max: vidro e aço inoxidável, Ceramic Shield, IP68, 240g;

  • Galaxy S22 Ultra: vidro e metal, Gorilla Glass Victus+, IP68, 228g;

  • Pixel 7 Pro: vidro e metal, Gorilla Glass Victus, IP68, 212g.

A esta altura do campeonato, você já deve conhecer o visual dos três smartphones, então focarei no quanto a construção e o design deles influenciaram no meu dia a dia. Primeiro, já gostaria de esclarecer que o novo notch do iPhone 14 Pro Max, chamado de “Dynamic Island”, não me impactou tanto quanto esperava.

Foi uma solução interessante criar uma interação para o entalhe, mas mal o percebi ali. Talvez a limitação de uso apenas às aplicações da Apple tenha influenciado nessa percepção, já que não as uso muito. Espero que outros aplicativos se adaptem ao novo notch com o tempo, nem que seja apenas para ver as notificações surgindo do espaço.

Dynamic Island do iPhone 14 Pro Max é interessante, mas ainda pouco útil (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
Dynamic Island do iPhone 14 Pro Max é interessante, mas ainda pouco útil (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

De resto, o iPhone 14 Pro Max que testei continua com a mesma pegada do iPhone 13 Pro Max: é bastante robusto e grandão, mas foi o que me causou a melhor impressão de segurança ao usar tanto com uma, quanto com duas mãos.

O Pixel 7 Pro e o S22 Ultra têm uma proposta mais delicada, embora também sejam grandes. Suas bordas laterais são curvadas, algo que particularmente curto, mas o modelo da Samsung tem cantos mais retos, o que lhe garantiu uma pegada mais desajeitada. Para uso com uma mão, ele é o menos agradável.

S22 Ultra é o único com caneta, justificando sua construção mais quadrada (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
S22 Ultra é o único com caneta, justificando sua construção mais quadrada (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Por outro lado, para uso com as duas mãos, a estrutura mais quadrada do S22 Ultra é excelente, principalmente se você aproveitar a caneta S Pen — a experiência é bem semelhante a de um caderninho de anotações, de fato.

Tela e som

  • iPhone 14 Pro Max: LTPO 6,7” Super Retina XDR OLED, 120 Hz, até 2.000 nits;

  • Galaxy S22 Ultra: LTPO 6,8 polegadas Dynamic AMOLED 2X, 120 Hz, até 1.750 nits;

  • Pixel 7 Pro: LTPO 6,7” AMOLED, 120 Hz, até 1.500 nits.

Sinceramente, não acho em tela você encontrará motivos para escolher algum dos três. Foram as melhores telas de celular que já experienciei até hoje.

Tudo bem, o iPhone 14 Pro Max tem brilho de tela superior em ambientes externos, de até 2.000 nits, mas a diferença em relação ao S22 Ultra, com 1.750 nits, é bem sutil. O celular do Google é o que possui o menor destaque nesse campo, mesmo ainda sendo ótimo em qualquer cenário.

Todos os modelos são excelentes em ambientes externos (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
Todos os modelos são excelentes em ambientes externos (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Deixando o lado técnico de lado, minha preferência é do Galaxy S22 Ultra. A tela gigante com resolução 2K é impecável, e acredito que os cantos mais retos deixam o consumo de vídeos e jogos ainda melhor. O Pixel 7 Pro vem logo atrás, justamente pelo brilho menos intenso em locais externos.

O celular da Maçã foi o que menos gostei por culpa do notch. Sei que muitas pessoas compram iPhone independentemente do notch ser grande ou pequeno, porém prefiro soluções para a câmera frontal menos invasivos, com os furos dos celulares Android.

Quanto à experiência sonora, o smartphone do Google me conquistou demais por trazer o que os outros não possuem na medida certa: graves presentes. Já o iPhone 14 Pro Max agrada pelos médios cristalinos, onde ficam as vozes. O S22 Ultra é o que menos surpreende devido à falta de grave — espero que no futuro Galaxy S23 fique melhor.

Configurações e desempenho

  • iPhone 14 Pro Max: A16 Bionic, 6 GB de RAM, até 1 TB de armazenamento;

  • Galaxy S22 Ultra: Snapdragon 8 Gen 1, 12 GB de RAM, até 1 TB de armazenamento;

  • Pixel 7 Pro: Tensor G2, até 12 GB de RAM, até 512 GB de armazenamento.

Desempenho em celular topo de linha não tem muita diferença, pois todos entregam a melhor qualidade para o usuário. É simples: se quiser o melhor da Apple, o iPhone 14 Pro Max é o escolhido; enquanto o Galaxy S23 não chega, o S22 Ultra é o melhor Galaxy S; já o Pixel mais potente é o 7 Pro.

Na minha utilização com os três, não encontrei um engasgo ou travamento sequer para contar história. Se eu quisesse forçar um pouco para encontrar defeito, diria que o S22 Ultra esquentou um pouco mais que o Pixel 7 Pro durante os jogos, enquanto o celular da Apple se manteve com a temperatura estável o tempo todo.

Além disso, o celular da Apple me pareceu mais fluido que os rivais na abertura e na transição de aplicativos, sem falar da própria interface — o iOS é mais otimizado que o Android, então não me surpreendi. O modelo do Google vem logo atrás com um Android puro extremamente liso, seguido pelo S22 Ultra, com uma One UI 5.0 bem personalizada, mas um pouco pesada.

O iOS é o sistema que menos gosto, porém é o mais otimizado (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
O iOS é o sistema que menos gosto, porém é o mais otimizado (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Quanto ao sistema, sinceramente acredito ser uma questão de gosto. Particularmente, prefiro o Android ao iOS por estar inserido na plataforma há mais tempo, então as funcionalidades, navegação por gestos, e interação com outros dispositivos já são suficientes para a minha rotina.

No entanto, não posso deixar de destacar a excelente otimização do iOS nas redes sociais, fazendo com que os iPhones sejam ótimas opções para criadores de conteúdo e influencers. A Samsung, por sua vez, melhorou bastante a qualidade das fotos e vídeos em aplicativos como Instagram, embora ainda fique atrás da Apple.

Recursos extras

O iPhone 14 Pro Max tem várias novidades na câmera, mas o principal diferencial mesmo é o Dynamic Island, que adiciona uma interação interessante ao entalhe do aparelho. É legal, mas acredito ser mais visual que funcional, pelo menos no momento.

O Galaxy S22 Ultra, por outro lado, vem com a caneta S Pen embutida. Diferentemente do Dynamic Island, a caneta stylus cria maneiras úteis de interagir com o celular, como auxiliar na criação de desenhos ou na edição de vídeos e fotos. Confesso que não a uso muito, mas pode ser muito útil a algumas pessoas.

A caneta S Pen é precisa para artistas e também para uso diário (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)
A caneta S Pen é precisa para artistas e também para uso diário (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Já o Pixel 7 Pro chegou com bastante novidade no campo de IA, principalmente em relação à tradução e ao assistente de voz. Uma pena que os principais recursos nesse campo funcionam em inglês, portanto não consegui aproveitá-los da melhor maneira.

No campo do carregamento, os três aparelhos possuem carregamento rápido, mas o S22 Ultra se sobressai com suporte a 45 W de potência. Além disso, ele e o Pixel 7 Pro suportam reverse charging, que praticamente "dão" sua carga a outros dispositivos, como fones sem fio e relógios.

O iPhone 14 Pro Max, por sua vez, tem carregamento Magsafe, que é um pouco mais "gourmet" que o wireless charging tradicional ao usar ímãs para posicionamento do carregador. A velocidade é de 15 W.

Câmeras

A fotografia é o departamento onde as marcas mais trazem novidades ano a ano. Particularmente, não acho que nos últimos anos houve um salto de qualidade nesse campo, mas é certo que os celulares topos de linha atuais estão na melhor forma.

O que falei acima é tão verdade que diria que, em ambientes com boa iluminação, os três aparelhos foram os melhores que já usei: há HDR eficaz e cores realmente impressionantes. Entretanto, eles não são nada parecidos na coloração da pele, especialmente a mais escura.

Estou preparando um comparativo de câmeras mais detalhado com estes três modelos, mas o que percebi no geral foi que o iPhone 14 Pro Max teve o desempenho mais confiável, sem precisar de muito esforço para tirar uma excelente foto. O software de câmera do iOS, no entanto, é o menos completo em termos de recursos.

A gravação de vídeos do celular da Apple também é a melhor, com destaque à excelente atuação nas redes sociais, fazendo do iPhone a melhor opção para influencers e criadores de conteúdo.

Quanto ao Pixel 7 Pro, o que mais tenho para elogiar é a fidelidade da coloração da pele, especialmente a mais escura. É incrível perceber o pós-processamento do Google agindo na galeria, mesmo que em algumas situações essa mudança seja um pouco exagerada. O modo retrato do smartphone também é incrível.

O S22 Ultra se destaca mais nos registros de longa distância devido às suas duas câmeras telefoto, sem falar do software de câmera recheado de recursos extras. Mas, comparado com os outros dois, percebi que o aparelho teve uma atuação inferior, especialmente durante à noite.

Conclusão

Depois de analisar praticamente os três melhores smartphones do mercado, minha conclusão é de que, sim, existe o melhor topo de linha, mas não pelos motivos certos. Permita-me explicar.

Para a minha utilização, todos eles ofereceram o melhor que poderia imaginar: construção, câmeras, desempenho, tela, bateria e recursos extras incríveis. Não houve nada que eu desejasse fazer que algum dos três não poderia realizar.

Entretanto, como no fim sempre temos que escolher apenas um — já que estamos falando de produtos extremamente caros —, o que deve pesar são os detalhes e o seu perfil de uso.

Por exemplo, se você for influencer ou criador de conteúdo com bastante foco em redes sociais, o iPhone certamente é a melhor opção pela ótima qualidade da câmera. Já o S22 Ultra, com sua caneta S Pen, deve agradar mais o profissional de arte ou o público corporativo.

Por fim, o Pixel 7 Pro é para o entusiasta do mundo mobile que quer ter todas as novidades do Android em primeira mão. Ele também foi o que mais acertou na coloração da pele na hora de fotografar, o que achei excelente.

E aí, em qual perfil você se encaixa? Conte-nos nas nossas redes sociais e aproveite os links de compra abaixo, caso pense em comprar um dos modelos!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: