Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,51 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,10 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,53
    -0,62 (-0,86%)
     
  • OURO

    1.819,40
    -42,00 (-2,26%)
     
  • BTC-USD

    38.728,55
    -1.121,67 (-2,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    960,52
    -31,95 (-3,22%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,63 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    28.949,52
    -341,49 (-1,17%)
     
  • NASDAQ

    13.884,00
    -97,25 (-0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0750
    +0,0130 (+0,21%)
     

PIX completa seis meses e movimenta mais de R$ 1,1 trilhão

·2 minuto de leitura
PIX completa seis meses e movimenta mais de R$ 1,1 trilhão
PIX completa seis meses e movimenta mais de R$ 1,1 trilhão

Nesta semana, o PIX completou seis meses em operação e já registrou mais de 1,5 bilhão de transações realizadas até o momento, respondendo pela movimentação de mais de R$ 1,1 trilhão, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central (BC).

Ao todo, foram cadastradas mais de 242 milhões de chaves, sendo cerca de 5,5 milhões referentes a empresas e 83 milhões provenientes de usuários pessoas físicas.

Ainda segundo a instituição, cerca de 5 milhões de brasileiros usaram o PIX, seja para pagamentos ou recebimentos, desde o lançamento. Isso é o equivalente a 45% da população adulta do Brasil.

Imagem mostra logo do Banco Central do Brasil, o Bacen
PIX é um sistema lançado pelo BC em novembro de 2020 e já completa mais de 242 milhões de chaves cadastradas. Crédito: Jo Galvao/Shutterstock

“Milhões de brasileiros já usam o sistema no seu dia a dia e o pagamento para empresas está com uma taxa média de crescimento bastante acelerada, em 57,5% ao mês”, afirmou o presidente do BC, Roberto Campos Neto.

Ainda segundo o executivo, o PIX figura entre os sistemas que tiveram adoção mais rápida, na comparação com outros do tipo no mundo. “É um meio de pagamento prático, rápido, acessível e seguro, que traz facilidade e gera novos modelos de negócio”, completou.

O PIX começou a funcionar oficialmente em 16 de novembro do ano passado. Em abril deste ano, o número de transações efetuadas por meio do sistema já era maior do que a quantidade de TEDs e DOCs, bem como cheques e boletos somados.

Também em abril, graças às transações realizadas no sistema, o Brasil se tornou o 8º país do mundo com mais transações instantâneas efetuadas.

Segundo comunicado do banco, o instrumento foi criado “em processo de intenso diálogo com a indústria e sociedade civil” e “se consolidou como uma das principais formas de pagamento no país”.

Veja também!

Evolução do sistema

Desde que foi lançado, o PIX já recebeu alguns aprimoramentos. No primeiro trimestre de 2021, o sistema ganhou a funcionalidade de integração da lista de contatos de usuários no smartphone, a fim de facilitar identificar quem já tem chave cadastrada.

Mais recentemente, em maio, o BC anunciou o PIX Cobrança, com intuito de permitir pagamentos com data limite para vencimento – considerada pelo mercado uma alternativa (ou até mesmo algo que pode ser futuramente um substitutivo) ao boleto.

Os próximos passos englobam o lançamento do PIX Saque e PIX Troco, para permitir, respectivamente, saques de moeda em espécie e a devolução da diferença de valores em pagamentos.

Além disso, até o final deste ano, o roadmap da instituição inclui a inclusão da conta salário na lista de contas movimentáveis pelo sistema; PIX Aproximação e PIX offline, para permitir realização de transações via sistema entre usuários que estejam sem acesso à internet.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos