Mercado fechado

Pix chega à marca de 100 transações per capita no ano

Pix já ultrapassou a marca de 100 transações per capita no ano, o que torna o meio de pagamento não só um dos mais consolidados do mercado como do mundo (Getty Creative)
Pix já ultrapassou a marca de 100 transações per capita no ano, o que torna o meio de pagamento não só um dos mais consolidados do mercado como do mundo (Getty Creative)
  • Pix é considerado um dos meios de pagamento mais consolidados pelo Banco Central;

  • No Brasil, até o mês de outubro, foram realizadas 101 transações anuais;

  • No caso do Reino Unido, também até outubro, foram apenas 31, em um sistema que já existe há 11 anos.

Um documento divulgado pelo Banco Central aponta que o Pix já ultrapassou a marca de 100 transações per capita no ano, o que torna o meio de pagamento não só um dos mais consolidados do mercado como do mundo.

De acordo com uma análise da autarquia, embora não exista o Pix como o do Brasil em outros países, a comparação foi feita com base em sistemas similares.

Enquanto no Brasil, até o mês de outubro, foram realizadas 101 transações anuais, na Dinamarca, o sistema similar ao Pix, que existe no país há cinco anos, contabilizou apenas 49 transações no mesmo período. No caso do Reino Unido, também até outubro, foram apenas 31, em um sistema que já existe há 11 anos.

Em anúncio durante evento organizado pela CFA Society Brazil, em São Paulo, em novembro, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que a autarquia pretende liberar protocolos do Pix. Desta forma, outros países poderiam copiar gratuitamente a ideia. As informações são do Estadão Conteúdo.

"Agora, em novembro, a gente vai abrir tudo que a gente fez no Pix, em termos de protocolo, para todos os bancos centrais que quiserem copiar, de graça", afirmou.

Em agosto, dados do Banco Central (BC) apontaram que o número de chaves Pix cadastradas bateu a marca dos 478,3 milhões até o final de julho deste ano, sendo que a população brasileira é composta por 214,9 milhões de pessoas.

De acordo com o BC, a maior parte das chaves registradas são de pessoas físicas, cerca de 457,4 milhões de brasileiros, o equivalente a 95%. Já o número de chaves de pessoas jurídicas compõe os 20,9 milhões restantes.