Mercado fechado

Após mais de quatro décadas, Pirelli vai fechar fábrica de Gravataí

Getty Images

A Pirelli anunciou o fechamento da fábrica de Gravataí (RS), onde são produzidos pneus para motocicletas há 43 anos.

Ao justificar o fechamento da unidade de Gravataí, a Pirelli disse que vai reorganizar as fábricas por conta da "situação difícil do mercado, com a consequente subutilização das fábricas". Mas a empresa anunciou que investirá 120 milhões de euros (cerca de R$ 530 milhões) no país de 2019 a 2021.

Segundo o Estado de S. Paulo, até 2021, toda a produção de pneus para motos será transferida para Campinas, interior de São Paulo. Hoje, a fábrica paulista só produz pneus para automóveis.

A unidade gaúcha emprega 900 funcionários. A Pirelli informou que vai negociar as demissões com o sindicato dos trabalhadores. A fábrica de pneus para caminhões que opera nas mesmas instalações e pertence à Prometeon --que também adquiriu a filial da Pirelli de Santo André-- será mantida.

Em três anos, essa mudança vai gerar 300 vagas para Campinas, prevê a Pirelli.

"A reorganização permitirá a criação (em Campinas) de um polo industrial a serviço dos mercados latino-americanos, que se dedicará à produção de pneus de carro e motos", disse a empresa em nota.

LEIA MAIS

Novo Volkswagen Golf 2020 adianta visual em esboços

Ferrari clássica de R$ 8,9 milhões é roubada durante test drive

O mercado de pneus no Brasil, nos três primeiros meses do ano, teve queda de 2% em relação a 2018 - 14,3 milhões de unidades. Por outro lado, a venda de pneus para motos cresceu 6%, para 2,46 milhões de unidades, segundo dados da Anip, entidade que representa o setor.