Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.445,41
    +719,16 (+3,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Do pior ao melhor: ranqueamos os jogos de The Legend of Zelda

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

The Legend of Zelda pode ser considerada uma das maiores franquias de todos os tempos, seja por ajudar a redefinir o gênero de mundo aberto ou pela história que atravessa linhas do tempo e conecta todo o universo.

Com vários lançamentos em pouco mais de 35 anos de história, é normal que existam alguns melhores do que os outros ao longo de toda a franquia. A seguir, ranqueamos todos os títulos da saga principal de Zelda, do pior até o melhor.

18. Zelda II: Adventure of Link (1987)

O segundo jogo da franquia pode ser considerado um dos menos agradáveis de se jogar. Muito pelo fato do game não ter um apelo tão grande, sendo uma continuação direta do primeiro e não incluindo um vilão principal. Na história, um culto tenta ressuscitar Ganon e cabe a Link impedir o plano. Nada de muito especial na trama, além do combate também não ser dos melhores.

Zelda II: Adventure of Link foi lançado para NES.

17. The Legend of Zelda: Tri Force Heroes (2015)

Tri Force Heroes é uma sequência direta de A Link Between Worlds e conta com o mesmo estilo de jogabilidade de Four Swords e Four Swords Adventures. Neste jogo, Link e outras duas versões do personagem são transportadas para o reino de Hytopia, para salvar a princesa Styla de uma maldição. O principal problema é que, apesar do modo cooperativo ser interessante, a versão single-player da experiência se torna péssima. Além disso, o sistema online do 3DS e o matchmaking do jogo dificultavam a jogatina online.

The Legend of Zelda: Tri Force Heroes está disponível para Nintendo 3DS.

16. The Legend of Zelda: Phantom Hourglass (2007)

Phantom Hourglass fez parte dos jogos de Nintendo DS da franquia. Sendo uma sequência de Wind Waker, o jogo continua a história com Link e Tetra viajando pelas ilhas do Grande Mar, a versão “aquática” de Hyrule. Apesar de ser bem avaliado pela crítica no geral, o game foi considerado fácil demais comparado com os outros jogos da franquia, e temos que concordar.

The Legend of Zelda: Phantom Hourglass é exclusivo de Nintendo DS.

15. The Legend of Zelda: Spirit Tracks (2009)

Spirit Tracks é a sequência de Phantom Hourglass, sendo considerado melhor do que o seu antecessor, e podemos concordar nisso. Porém, o jogo sofre com seus controles e também não é tão focado em exploração quanto outros Zeldas, além dos problemas com a falta de novidades e alguns outros defeitos menores. No fim, assim como seu antecessor, o jogo pode até divertir, mas fica abaixo do resto da série.

The Legend of Zelda: Spirit Tracks é exclusivo de Nintendo DS.

14. The Legend of Zelda: Four Swords (2002)

Ainda seguindo as aventuras de Link nos consoles portáteis da Nintendo, Four Swords tem uma jogabilidade bem interessante e fiel ao que conhecemos do universo da franquia, sendo uma boa adição para o Game Boy Advance na época. O principal problema do jogo estava no principal fator, o modo multiplayer: era complicado conseguir quatro outros jogadores e o Cable Link não oferecia uma das conectividades mais seguras.

The Legend of Zelda: Four Swords é exclusivo de Game Boy Advance e recebeu uma versão de aniversário por tempo limitado para Nintendo DS.

13. The Legend of Zelda: Four Swords Adventures (2004)

Four Swords Adventures foi lançado para GameCube, podendo usar o Game Boy Advance como controle, com a possibilidade de jogar com até quatro jogadores durante a campanha, sendo um jogo muito cooperativo. Serviu como evolução natural do seu antecessor, conseguindo ser muito mais efetivo na ideia de ser uma experiência cooperativa de Zelda.

The Legend of Zelda: Four Swords Adventures é exclusivo de GameCube.

12. The Legend of Zelda: Oracle of Seasons e Oracle of Ages (2001)

Lançados para o Game Boy Color, Oracle of Seasons e Oracle of Ages são jogos que não foram originalmente desenvolvidos pela Nintendo, e sim pela Flagship, uma subsidiária da Capcom. Com histórias que se interligam, o jogador deve jogar entre as duas versões para conseguir chegar ao final, o que pode ser bem desanimador para muitos fãs. Porém, a dupla Oracle forma uma experiência bem divertida e única no universo da franquia.

The Legend of Zelda: Oracle of Seasons e Oracle of Ages são jogos de Game Boy Color e também foram disponibilizados para Nintendo 3DS.

11. The Legend of Zelda: The Minish Cap (2004)

Mais um jogo desenvolvido pela Flagship, dessa vez para o Game Boy Advance, Minish Cap continua a história da Four Sword, espada introduzida em Four Swords e sua sequência, Adventures. Aqui, Link recebe a ajuda de Ezlo, um sábio que foi transformado em chapéu por seu aprendiz e vilão da história, Vaati. Apesar de ser considerado muito curto, é uma das melhores versões de Zelda na era portátil da franquia.

The Legend of Zelda: The Minish Cap é exclusivo de Game Boy Advance, podendo ser jogado no Wii U através do Virtual Console.

10. The Legend of Zelda: Link’s Awakening DX (1998)

Tudo bem que existem as versões de Game Boy e o remake de Nintendo Switch, mas a versão de Game Boy Color de Link’s Awakening é muito mais marcante por suas novas funcionalidades, como a adição de cores, que eram uma das principais críticas a versão de Game Boy. Aqui, Link está viajando pelo mar até naufragar na Koholint Island, onde a aventura começa.

The Legend of Zelda: Link’s Awakening DX é exclusivo de Game Boy Color e pode ser jogado pelo Virtual Console do Nintendo 3DS. Já o remake é exclusivo de Nintendo Switch.

9. The Legend of Zelda: A Link Between Worlds (2013)

A Link Between Worlds é o melhor jogo da “era portátil” da franquia. Seguindo a história do herói do tempo que conhecemos em A Link to the Past, neste aqui, Link deve salvar Zelda após ela ser capturada pelo feiticeiro Yuga, que quer capturar os sete sábios para ressuscitar Ganon. Com a habilidade de se mover entre as paredes se transformando em uma pintura, Link também pode explorar todas as masmorras do jogo de forma não linear, graças ao sistema de comprar os itens de exploração, ao invés de receber eles no fim de cada masmorra.

The Legend of Zelda: A Link Between Worlds é exclusivo de 3DS e Nintendo 2DS.

8. The Legend of Zelda: Skyward Sword (2011)

O jogo da franquia para o Wii é o primeiro Zelda na linha do tempo. Contando a história de Skyloft e o começo da trama milenar que envolve Link, Zelda e Ganon, Skyward Sword é essencial para entender os rumos que a franquia tomou em Breath of The Wild. Apesar de ser um jogo que sofre muito com o controle do Wii, ele consegue ser extremamente divertido e importante. Uma nova versão em HD foi lançada para o Nintendo Switch, em comemoração aos 35 anos da franquia, com direito a Joy-Con temáticos do jogo.

The Legend of Zelda: Skyward Sword é um jogo de Wii. Já The Legend of Zelda: Skyward Sword HD é exclusivo de Nintendo Switch.

7. The Legend of Zelda: Wind Waker HD (2013)

A versão do Wii U de Wind Waker melhora o já excelente jogo do Wii. Aqui, Hyrule foi destruída pelo mar e se tornou o Great Sea, com Link conhecendo a capitã Tetra na floresta de Outset Island. Link resgata a personagem e ambos saem em aventuras pelas ilhas, até descobrirem que o destino do herói do tempo e Tetra é maior do que imaginavam. Com uma das melhores lutas de Link contra Ganon, Wind Waker é um respiro incrível e uma mudança excelente no status quo da franquia. Como o Wii U acabou decepcionando nas vendas, podemos sonhar com a Nintendo relançando o game para o Nintendo Switch?

The Legend of Zelda: Wind Waker HD é exclusivo de Wii U.

6. The Legend of Zelda (1986)

O primeiro Zelda envelheceu muito bem, obrigado. Sendo um jogo do Nintendinho, ele impressiona por se manter muito divertido até nos dias atuais. A primeira batalha entre Ganon e Link acontece quando o príncipe das trevas rouba a Triforce da Força. Ao tentar impedir que Ganon roube a da Sabedoria, Zelda destrói a sua parte da Triforce em oito pedaços espalhados por masmorras secretas. Link então parte para salvar a princesa e derrotar seu vindouro arqui-inimigo.

The Legend of Zelda está disponível no NES, Game Boy Advance e GameCube. Você também pode jogá-lo na biblioteca retrô do Switch com uma assinatura do serviço Nintendo Switch Online.

5. The Legend of Zelda: A Link to the Past (1991)

A Link to the Past é o terceiro jogo da franquia, se passando anos depois de seus predecessores. Aqui, Link parte para salvar Hyrule, derrotar Ganon e salvar os descendentes dos Sete Sábios. O jogo marcou o retorno da visão de cima e introduziu um dos principais elementos da franquia: mundos paralelos e a Master Sword. Sendo um jogo que criou muito do que conhecemos até hoje de Zelda, A Link to the Past ainda merece estar entre os cinco melhores lançamentos da saga.

The Legend of Zelda: A Link to the Past foi lançado para SNES. Você também pode jogá-lo na biblioteca retrô do Switch com uma assinatura do serviço Nintendo Switch Online.

4. The Legend of Zelda: Twilight Princess HD (2016)

Twilight Princess, assim como Wind Waker, atingiu sua melhor versão no Wii U. Aqui, temos um Link encarando uma história de tom bem sombrio, sendo levado para uma prisão e transformado em lobo. Nisso, ele se junta com Midna para chegar até Zelda, que explica que Zant, um usurpador dos Twili, invadiu o castelo e forçou sua rendição, tornando todos os habitantes de Hyrule, exceto Link e Zelda, em espíritos. Cabe a Link e Midna acharem os Light Spirits e retomar a glória de Hyrule ao derrotar Zant.

The Legend of Zelda: Twilight Princess está disponível no GameCube, Wii e no Wii U.

3. The Legend of Zelda: Majora's Mask (2000)

Um dos Zeldas mais complexos até hoje, Majora's Mask consegue cativar seus jogadores graças ao seu senso de urgência, bizarrice e tom sombrio na história. Aqui, acompanhamos o Link criança, após os acontecimentos de Ocarina of Time. O herói do tempo é transportado para Termina, onde se compromete a ajudar a cidade que está prestes a ser destruída pela lua. Majora's Mask ainda uma boa quantidade de teorias e discussões sobre seus temas e história.

The Legend of Zelda: Majora's Mask saiu para Nintendo 64. Uma versão em HD também foi lançada para o Nintendo 3DS e o jogo está disponível no pacote adicional do Nintendo Switch Online.

2. The Legend of Zelda: Breath of the Wild (2017)

Um dos maiores jogos da última década, Breath of the Wild impressiona por virar a história da franquia em 360 e impactar a forma como exploramos um mundo aberto. Sendo ambientado após o evento conhecido como Calamidade, Link acorda de um sonho de 100 anos para encontrar uma Hyrule destruída. Dessa vez, Ganon sacrificou sua forma corpórea para se tornar Calamity Ganon, uma entidade maligna que toma posse do Castelo de Hyrule, sendo contido por Zelda antes de destruir o resto do mundo. Cabe agora ao herói do tempo recuperar as quatro Bestas Divinas e derrotar o mal de uma vez por todas.

The Legend of Zelda: Breath of the Wild está disponível para Wii U e Nintendo Switch.

1. The Legend of Zelda: Ocarina of Time (1998)

Ocarina of Time permanece no posto de melhor Zelda de todos os tempos. Seja por revolucionar o conceito dos RPGs de ação, pela história que transita entre o passado e futuro ou pelo conceito de mundo aberto que impressiona até hoje. Aqui, Link deve correr, literalmente, contra o tempo para salvar Zelda e Hyrule da maldade de Ganondorf. O jogo é um divisor de águas na franquia, o que pavimentou o conceito de múltiplas linhas temporais, elevou o tom da série e se tornou um dos jogos mais influentes da história. Também foi um lançamento importantíssimo para o começo da era de jogos 3D.

The Legend of Zelda: Ocarina of Time foi lançado para Nintendo 64. Um remake para Nintendo 3DS também está disponível, além de ser possível jogá-lo no pacote adicional do Nintendo Switch Online.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos