Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,86
    +0,09 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.854,80
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    32.243,81
    +32.243,81 (+0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    653,79
    -23,11 (-3,41%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    30.159,01
    +711,16 (+2,41%)
     
  • NIKKEI

    28.822,29
    +190,84 (+0,67%)
     
  • NASDAQ

    13.467,00
    -8,50 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6392
    -0,0128 (-0,19%)
     

Piolho é transmitido pelo uso compartilhado de objetos pessoais; saiba como evitá-lo

Evelin Azevedo
·2 minuto de leitura

Após três meses tentando eliminar o piolho da cabeça dos filhos, a atriz Luana Piovani decidiu levar Dom, de 7 anos, e os gêmeos Liz e Bem, de 5, em uma clínica especializada na retirada dos insetos, em Portugal, país onde mora agora. Mesmo durante a pandemia, quando as escolas estão fechadas, o problema não dá trégua.

“Tirar piolho é para os fortes. E lá se vão quase três meses tentando”, contou a atriz em suas redes sociais.

E engana-se quem pensa que as crianças estão livres da pediculose porque ficaram sem aulas presenciais nos últimos meses. A transmissão do piolho pode acontecer no parquinho do condomínio, no salão de beleza ou no barbeiro, na casa de um coleguinha ou parente. Basta ter contato com algum objeto contaminado para a coceira começar. Uma infestação prolongada pode ser prejudicial à saúde.

— A coceira intensa provocada pelo piolho pode causar infecções bacterianas secundárias, como impetigo. Como o inseto suga pequenas quantidades de sangue, a criança pode ficar com anemia em casos de grande infestação ou combate inadequado — explica a pediatra Brunna Santana, do Grupo Prontobaby.

Não é a movimentação do piolho na cabeça que provoca a coceira no couro cabeludo, mas sim a saliva do inseto. Com propriedades vasodilatadoras e anticoagulantes, o líquido permite que eles suguem uma pequena quantidade de sangue, em pequenos intervalos de tempo.

— É um mito que as infestações por piolhos são causadas pela falta de higiene. De fato, a experiência mostra que eles parecem preferir cabelo limpos — explica Joanna Stauber, especialista em remoção desses insetos e sócia da Clínica do Piolho.

O tratamento consiste em retirar piolhos e lêndeas com as mãos e o pente- fino. Em vez de esmagar o inseto com as unhas, o certo é mergulhá-lo numa solução com água e vinagre (em igual quantidade). Quando a criança está infectada, toda a família deve se cuidar.