Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.570,57
    +41,60 (+0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,18
    -0,49 (-0,78%)
     
  • OURO

    1.790,20
    +11,80 (+0,66%)
     
  • BTC-USD

    56.258,08
    -61,78 (-0,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.295,55
    +32,59 (+2,58%)
     
  • S&P500

    4.154,69
    +19,75 (+0,48%)
     
  • DOW JONES

    34.030,79
    +209,49 (+0,62%)
     
  • FTSE

    6.909,02
    +49,15 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.799,50
    +5,25 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7006
    -0,0019 (-0,03%)
     

Pinterest lança fundo para remunerar criadores de conteúdo

Alveni Lisboa
·3 minuto de leitura

O Pinterest, rede social voltada para o compartilhamento de fotos, lançou o chamado Creator Fund (Fundo para Criadores, em tradução livre) para pagar um pequeno grupo de influenciadores digitais pela produção de conteúdo para a plataforma. Esse fundo terá US$ 500 mil (R$ 2,8 milhões) em dinheiro a ser repassado para os escolhidos ao longo de 2021.

A ideia inicial é começar com apenas oito criadores de origens diversificadas como forma de experimento. Se a iniciativa der certo, a expectativa é ampliar o programa para mais pessoas até o fim do ano.

(Imagem: Divulgação/Pinterest)
(Imagem: Divulgação/Pinterest)

Mais novidades

A empresa também introduziu um novo conjunto de políticas para seus criadores no intuito de reforçar e aprimorar as diretrizes comunitárias. O Código de Conduta do Criador de Conteúdo exige que os interessados no patrocínio concordem com uma série de regras para criar um ambiente inclusivo e amigável para todos. Na prática, não muda muita coisa do que a rede já aplica, mas é interessante apresentar isto de forma mais clara, como está sendo feito.

Simultaneamente, o Pinterest também revelou novos recursos de moderação de comentários, o que encorajará usuários a deixar comentários mais positivos. Um aviso será exibido sempre que o conteúdo da mensagem estiver em desacordo com as políticas da empresa. Esta é uma funcionalidade parecida com as introduzidas pelo Instagram e TikTok, cujo objetivo é alertar as pessoas antes que elas violem as boas práticas e sejam punidas.

(Imagem: Divulgação/Pinterest)
(Imagem: Divulgação/Pinterest)

Formato diferente de rede social

De todas as plataformas de mídia social, o Pinterest é uma das menos dependentes da chamada “cultura de influenciadores”. Diferentemente do Instagram e do YouTube, plataformas nas quais as pessoas se tornam webcelebridades, aqui o objetivo é mais comunitário, mais focado em ajudar ao próximo em vez de se autopromover.

(Imagem: Divulgação/Pinterest)
(Imagem: Divulgação/Pinterest)

Isto até pode ter mudado um pouco com a chegada dos stories aos Pins e dos perfis de criadores, mas ainda são recursos usados para inspirar aos demais do que para estreitar laços ou estabelecer relacionamentos. O que tem mudado mesmo é a busca por atrair empresas para a plataforma, que ainda é muito voltada para usuários.

Na última segunda-feira, o Pinterest anunciou um modelo de publicidade baseada em propagandas. O Pinterest Ads permitirá às empresas ter acesso a vários formatos de anúncios, com opções de segmentação e a possibilidade de alcançar novos públicos com conteúdos de seu interesse.

Pagamento de influenciadores é tendência?

Com a novidade, o Pinterest entra para o seleto grupo das redes sociais que concedem apoio financeiro direto para seus usuários mais representativos. O TikTok foi o pioneiro ao lançar um fundo com US$ 200 milhões no ano passado, seguido pela iniciativa Spotlight, do Snapchat, que destina cerca de US$ 1 milhão por dia aos conteúdos virais. O Instagram também possui planos para começar a remunerar seus criadores diretamente, assim como o Facebook e o Twitter.

Olhando para os números, a iniciativa do Pinterest parece bem mais modesta em termos de valores. Mas é preciso ressaltar que o perfil desta rede social é bem diferente das demais, em que a cultura dos digital influencers é muito forte. A ideia dos Pins é compartilhar ideias criativas, obter inspiração ou dividir gostos e hobbies.

Será que o programa de financiamento do Pinterest vai para frente? Você é usuário da rede? Comente o que acha da iniciativa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: