Mercado abrirá em 8 h 59 min
  • BOVESPA

    99.621,58
    -969,83 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.061,61
    -373,84 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,99
    +0,21 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.818,20
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    20.073,28
    -209,38 (-1,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    431,23
    -8,43 (-1,92%)
     
  • S&P500

    3.818,83
    -2,72 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    31.029,31
    +82,32 (+0,27%)
     
  • FTSE

    7.312,32
    -11,09 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    22.030,53
    +33,64 (+0,15%)
     
  • NIKKEI

    26.478,56
    -326,04 (-1,22%)
     
  • NASDAQ

    11.651,50
    -39,50 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4159
    +0,0053 (+0,10%)
     

Pimco vê curva de Treasuries acentuada com inflação alta

(Bloomberg) -- O resultado do atual surto de inflação provavelmente será rendimentos relativamente mais altos em títulos do Tesouro americano de longo prazo em relação aos mais curtos, uma tendência de inclinação da curva que pode levar o yield de 10 anos a até 4%, de acordo com executivos da Pimco.

Em seu último relatório anual sobre riscos e oportunidades nos próximos cinco anos, a Pimco, com sede em Newport Beach, Califórnia, diz que, no curto prazo, o achatamento da curva pode persistir “à medida que os mercados avaliam os dados de inflação e o equilíbrio entre riscos de inflação e recessão.”

“Mas, ao longo de todo o período, esperamos o restabelecimento de curvas mais acentuadas em um ambiente em que o risco de inflação é de mão dupla em torno das metas do banco central e onde há maior potencial para pressões inflacionárias duradouras” do que na última década, diz o relatório assinado pelo consultor econômico global Joachim Fels, o diretor global de investimentos em renda fixa Andrew Balls e o chefe de investimento do grupo Dan Ivascyn.

Eles preveem que os investidores “exigirão mais prêmio de prazo – ou seja, compensação pelo risco de títulos – para manter títulos longos”. O rendimento da nota do Tesouro americano de 10 anos - atualmente em torno de 3,15% - não excedeu consistentemente 4% desde 2008.

Os spreads da curva de juros dos Treasuries foram re-invertidos na semana passada pela primeira vez em meses, depois que os dados de inflação mais aquecida do que o esperado levaram a um aumento de juros de 0,75 ponto percentual pelo Federal Reserve, o primeiro em mais de 20 anos. A medida reduziu a demanda por títulos do Tesouro protegidos contra a inflação.

Embora a Pimco veja “uma probabilidade elevada de recessão nos EUA e em outras economias avançadas nos próximos dois anos” e preveja retornos positivos na maioria dos títulos de referência nos próximos cinco, diz que os investidores continuarão enfrentando inflação mais alta e riscos de alta maiores do que na última década.

Os títulos indexados à inflação do Tesouro americano oferecem “uma proteção de preço razoável contra surpresas de alta na inflação”, disse a gestora.

As crescentes expectativas de inflação levaram os títulos indexados dos EUA a superarem os títulos nominais quase todos os meses desde março de 2020, uma tendência que atingiu o pico em abril, depois que a invasão da Ucrânia pela Rússia desencadeou um novo aumento nos preços das commodities.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos