Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,88 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,07 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    29.915,63
    +505,85 (+1,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,80 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,54 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,23 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1531
    -0,0657 (-1,26%)
     

Piloto automático da Tesla gera alarme nos EUA após desastres

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- Derrick Monet e sua esposa, Jenna, estavam dirigindo em uma estrada interestadual de Indiana em 2019 quando seu sedã Tesla Model 3 operando no piloto automático colidiu com um caminhão de bombeiros estacionado. Derrick, então com 25 anos, sofreu fraturas na coluna, pescoço, ombro, costelas e perna. Jenna, 23, morreu no hospital.

O incidente foi um de uma dúzia nos últimos quatro anos em que Teslas usando este sistema de assistência ao motorista colidiram com veículos de emergência, levantando questões sobre a segurança da tecnologia que a montadora mais valiosa do mundo considera uma de suas joias da coroa.

Agora, os reguladores dos EUA estão aplicando maior escrutínio ao piloto automático do que nunca. A National Highway Traffic Safety Administration, que tem autoridade para forçar recalls, abriu duas investigações formais de defeitos que podem levar a Tesla a ter que reformar carros e restringir o uso do piloto automático em situações em que ainda não é seguro.

Uma repressão ao piloto automático pode manchar a reputação da Tesla junto aos consumidores e assustar os investidores cuja crença na boa-fé da empresa ajudou a tornar o CEO da Tesla, Elon Musk, a pessoa mais rica do mundo.

Isso pode prejudicar a confiança na tecnologia que outras empresas automobilísticas e de software estão gastando bilhões para desenvolver na esperança de reverter uma tendência preocupante de aumento das mortes no trânsito nos EUA.

Também pode trazer à tona as tensões de longa data entre Washington e a Tesla. O iconoclasta Musk já ridicularizou a NHTSA como “estraga-prazeres” e se irritou com a relutância do presidente Joe Biden em elogiar a empresa pioneira. Ele não tem vergonha de criticar legisladores e reguladores no Twitter, a plataforma de mídia social que ofereceu de comprar por US$ 43 bilhões.

A Tesla, que divulga balanço no final desta semana, ultimamente tem uma aura de invencibilidade. À medida que rivais maiores foram prejudicados pela escassez global de chips e outras interrupções durante a pandemia, a fabricante de carros elétricos conseguiu aumentar a produção.

Uma agência governamental com poucos recursos e lenta é um dos poucos obstáculos que ameaçam tirá-la do curso.

Musk e Tesla não responderam a pedidos de comentários.

“Tornar nossos veículos mais seguros é fundamental para a cultura de nossa empresa e como inovamos em novas tecnologias”, escreveu Rohan Patel, diretor sênior de políticas públicas e desenvolvimento de negócios da Tesla, em carta a congressistas em março.

Uma repressão da NHTSA seguiria repetidos apelos do National Transportation Safety Board, órgão independente de investigação de acidentes, para reforçar a supervisão de veículos automatizados.

O NTSB, que não tem o poder de obrigar as montadoras a seguir suas recomendações, sugeriu que a Tesla adote as salvaguardas do sistema de direção automatizada que a General Motors e a Ford Motor adotaram para seus sistemas. A Tesla não respondeu às diretrizes do NTSB e, em vez disso, continuou sua abordagem mais arriscada.

“Nós essencialmente temos o velho oeste em nossas estradas atualmente”, disse Jennifer Homendy, presidente do NTSB, em entrevista. Ela descreve a implementação pela Tesla de recursos comercializados como Autopilot e Full Self-Driving como experimentos de inteligência artificial usando operadores não treinados. “É um desastre esperando para acontecer.”

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos