Mercado fechará em 3 h 23 min
  • BOVESPA

    115.420,28
    -247,50 (-0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.380,88
    +229,50 (+0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,54
    +0,32 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.777,30
    -20,60 (-1,15%)
     
  • BTC-USD

    51.182,99
    +1.919,54 (+3,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.024,44
    +29,78 (+2,99%)
     
  • S&P500

    3.882,97
    -42,46 (-1,08%)
     
  • DOW JONES

    31.745,40
    -216,46 (-0,68%)
     
  • FTSE

    6.661,05
    +2,08 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    13.108,75
    -193,25 (-1,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7100
    +0,1395 (+2,12%)
     

Picpay nomeia ex-presidente da Cielo como vice de relações com investidores

Aluisio Alves
·2 minuto de leitura

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O PicPay anunciou nesta segunda-feira que nomeou Rômulo Dias, ex-presidente da Cielo, como vice-presidente financeiro e de relações com investidores, à medida que a carteira digital controlada pelo grupo J&F avança para se tornar um superaplicativo.

No cargo, Dias se reportará ao presidente-executivo, José Antônio Batista, da família fundadora da J&F, que controla também a JBS. Batista assumiu em agosto, no lugar de Gueitiro Genso e, desde então, o Picpay vem trazendo diversos executivos do mercado para a diretoria executiva e para o conselho adie administração, num movimento de aproximação com o mercado de capitais.

O Picpay já havia nomeado como vice-presidente de serviços financeiros Eduardo Chedid, também ex-executivo da Cielo, onde trabalhou com Dias.

Criado em 2012 em Vitória (ES), o PicPay recebeu investimentos da J&F a partir de 2015 por meio de outra empresa da holding, o Banco Original e, desde então, vem se tornando um marketplace de serviços financeiros. Mais recentemente, vem incorporando serviços de conteúdo e de mensageira, num modelo que lembra o de grupos chineses como o WeChat.

Com um movimento agressivo de expansão com apoio de incentivos como remuneração de saldos acima do CDI, cashback e descontos na compra de produtos, o PicPay mais do que dobrou sua base de clientes nos últimos 12 meses, para 45 milhões, também com impulso dos efeitos da pandemia, que ampliou a procura por meios digitais de pagamentos.

Segundo Dias, a decisão de aceitar o convite do Picpay se deu pela percepção de que o time executivo tem grande autonomia.

"A empresa tem investimento, um modelo de negócios renovável e mostrou que dá autonomia se confiam em você", disse ele à Reuters.

O Picpay se prepara para captar recursos por meio de uma listagem em bolsa que, segundo profissionais do mercado deve acontecer nos próximos meses na Nasdaq, onde também são listadas rivais brasileiros do setor, como as empresas de pagamentos PagSeguro e StoneCo.