Mercado fechará em 1 h 43 min
  • BOVESPA

    112.270,58
    +380,70 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.272,59
    +129,59 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,81
    +0,72 (+0,63%)
     
  • OURO

    1.856,20
    +2,30 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    28.418,42
    -1.145,86 (-3,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    617,04
    -12,46 (-1,98%)
     
  • S&P500

    4.129,68
    +71,84 (+1,77%)
     
  • DOW JONES

    32.988,22
    +351,03 (+1,08%)
     
  • FTSE

    7.585,46
    +20,54 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    20.697,36
    +581,16 (+2,89%)
     
  • NIKKEI

    26.781,68
    +176,84 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.573,50
    +294,25 (+2,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0839
    -0,0341 (-0,67%)
     

Picada de carrapato pode te deixar alérgico a carne; entenda

A síndrome alfa-gal (SAG) é uma condição rara cuja origem é tão curiosa como a própria doença: ela vem da mordida de carrapatos — no Brasil, o Amblyomma sculptun, nos Estados Unidos, o A. americanum, e na Europa, o Ixodes ricinus. Após a exposição à saliva do aracnídeo, o indivíduo desenvolve intolerância a certos tipos de carne, que passam a causar uma reação alérgica mediante consumo.

A SAG também é conhecida como alergia à carne vermelha, já que os sintomas são sentidos ao consumi-la, mas também ocorrem no consumo de vísceras de mamíferos não primatas, como caprinos, bovinos e suínos. O oligossacarídeo (molécula de açúcar) galactose-α-1,3-galactose, ou alfa-gal, não está presente em peixes, répteis e pássaros, então seu consumo é seguro aos portadores de SAG.

Várias espécies de carrapato podem causar a síndrome alfa-gal, mas não temos conhecimento de todas as espécies de aracnídeo que podem transmiti-la (Imagem: LanaSweet/Envato Elements)
Várias espécies de carrapato podem causar a síndrome alfa-gal, mas não temos conhecimento de todas as espécies de aracnídeo que podem transmiti-la (Imagem: LanaSweet/Envato Elements)

Sintomas

Ao ser mordido por algum dos carrapatos causadores da doença, o ser humano começa a sentir os sintomas da síndrome cerca de duas horas após o consumo de carne vermelha. São eles:

  • Tosse;

  • Náusea;

  • Vômitos;

  • Urticária;

  • Angioedema, ou inchaço;

  • Dificuldade para respirar;

  • Queda na pressão sanguínea.

A severidade dos sintomas muda de acordo com a pessoa, então pode ser que eles se apresentem de forma mais leve ou cheguem a ser ameaças à saúde, causando até mesmo anafilaxia. Nem toda exposição ao alfa-gal, nota-se, necessariamente será um gatilho para os sintomas da SAG, mas eles podem acabar surgindo no consumo de leite, carne e gelatina.

O que causa a síndrome alfa-gal?

Já falamos de algumas espécies de carrapatos e sua culpa na SAG, mas há a possibilidade de outras espécies do animal poderem causar a condição. Para garantir, é melhor evitar o contato com todos os tipos de carrapato. Acredita-se que a saliva do bicho seja a responsável pelo desenvolvimento da SAG, já que contém proteínas cheias de moléculas de açúcar alfa-gal.

Isso causa uma hipersensibilidade do anticorpo imunoglobulina E (IgE) ao açúcar, então a exposição a alfa-gal causa reações alérgicas em contatos futuros com a substância, da mesma forma que uma pessoa alérgica a nozes reage quando come um amendoim, por exemplo.

Carne de animais geneticamente modificados pode ser uma solução para evitar os sintomas da SAG, mas o avanço tecnológico tem outros benefícios (Imagem: Kyle Mackie/Unsplash)
Carne de animais geneticamente modificados pode ser uma solução para evitar os sintomas da SAG, mas o avanço tecnológico tem outros benefícios (Imagem: Kyle Mackie/Unsplash)

Avanços medicinais

Companhias de biotecnologia, como a Revivicor, vêm trabalhando para criar carne sem alfa-gal, por exemplo, modificando porcos geneticamente para não terem a substância na proteína da carne. E esse não é o único benefício da tecnologia: a alfa-gal também gera rejeição de órgãos em humanos, então removê-la torna transplantes entre porcos e humanos possível. Lembra do paciente que recebeu um coração suíno este ano? Pois é, a tecnologia esteve presente na cirurgia.

Até o momento, a Revivicor tem enviado amostras grátis de bacon, presunto e bisteca suína para portadores da SAG, e planos para futura encomenda da carne para consumo ainda estão em vista. Para quem tem a síndrome, o melhor a fazer por agora é ficar de olho na dieta, eliminando tudo o que causar intolerância. Caso você suspeite de algum sintoma, procure o seu médico para fazer testagens de alergia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos