Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,06
    -0,58 (-0,96%)
     
  • OURO

    1.714,40
    -8,60 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    49.058,86
    +2.580,17 (+5,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,31
    +54,08 (+5,83%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.588,53
    +105,10 (+1,62%)
     
  • HANG SENG

    29.708,39
    +255,82 (+0,87%)
     
  • NIKKEI

    29.759,05
    +95,55 (+0,32%)
     
  • NASDAQ

    13.310,50
    +30,75 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7888
    -0,0068 (-0,10%)
     

PicPay quer replicar sucesso de app chinês e virar ‘gigante’ brasileiro

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Escritório da empresa de pagamentos PicPay
Escritório da empresa de pagamentos PicPay

O app de pagamentos PicPay já pode ser considerado um “gigante” do setor de tecnologia brasileiro – com mais de 41 milhões de usuários, e mais de 2,1 mil funcionários, segundo números publicados por reportagem do site NeoFeed.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Mas, em breve, se os planos da sua liderança derem certo, esse tamanho vai crescer ainda mais. O PicPay quer se tornar uma “big tech” brasileira, expressão usada para se referir a gigantes internacionais como Google e Facebook.

Leia também:

Para isso, segundo o atual executivo-chefe da empresa, José Antônio Batista, o PicPay vai tomar um caminho semelhante ao do chinês WeChat, outro gigante que atua em áreas semelhantes.

Segundo Batista, em entrevista ao NeoFeed, o PicPay vai deixar de atuar somente na área de meios de pagamento, para se expandir para um serviço de troca de mensagens, ao estilo WhatsApp e Telegram, empréstimo de dinheiro ponta a ponta, ou seja, entre usuários, e até uma plataforma de publicidade.

Nessa última, a empresa espera replicar o sucesso de Google e Facebook, vendendo áreas de anúncios para empresas interessadas em capitalizar do grande número de usuários que gastam seu tempo dentro do aplicativo da PicPay.

Assim, a empresa espera transformar seu produto num “super app”.

“Seremos a primeira big tech brasileira”, diz Batista ao NeoFeed. “O PicPay será o WeChat do Ocidente.”

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube