Mercado abrirá em 8 h 28 min
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,39
    -0,16 (-0,20%)
     
  • OURO

    1.788,90
    +29,00 (+1,65%)
     
  • BTC-USD

    17.154,98
    +213,71 (+1,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    406,72
    +6,02 (+1,50%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.802,63
    +205,40 (+1,10%)
     
  • NIKKEI

    28.281,04
    +312,05 (+1,12%)
     
  • NASDAQ

    12.033,75
    -8,50 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4063
    +0,0098 (+0,18%)
     

PIB do Brasil caiu menos que a média mundial em 2020 após revisão, veja ranking

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A revisão da queda do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro em 2020, de 3,9% para 3,3%, coloca o Brasil em uma posição superior à média mundial no ano inicial da pandemia de Covid-19.

O dado fechado do PIB daquele ano foi divulgado nesta sexta-feira (4) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em um grupo de 49 economias com dados coletados pela OCDE, o Brasil aparece na 21ª posição, com desempenho acima da média de -4,1%. Dados do FMI (Fundo Monetário Internacional) para 195 economias mostram o país na 87ª posição, ligeiramente melhor que o desempenho mundial estimado em -3,5%.

O Brasil foi um dos países que mais gastaram durante a crise de 2020 para dar sustentação à economia e permitir que famílias e empresas pudessem seguir as regras de isolamento social.

Apesar da resistência inicial do governo federal, o Congresso aprovou o Auxílio Emergencial de R$ 600. A proposta do Ministério da Economia era de R$ 200.

Também foi aprovado o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, entre outras medidas.

Com isso, a economia se recuperou mais rápido que o esperado no segundo semestre daquele ano, após as duas quedas verificadas nos dois primeiros trimestres.

Apesar da revisão de 2020, o Brasil ainda deve fechar o governo Jair Bolsonaro com uma taxa de crescimento equivalente à metade da média mundial.

O crescimento abaixo do mundial tem sido verificado desde o governo Dilma Rousseff, passando pelas duas gestões posteriores, e a perspetiva é de que essa performance se mantenha nos próximos quatro anos, segundo as projeções de economistas brasileiros e organismos multilaterais.