Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.446,51
    +669,00 (+3,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Pfizer vai pedir autorização da Anvisa para vacina da covid em crianças pequenas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A farmacêutica norte-americana Pfizer deve solicitar autorização de uso da vacina contra a covid-19 em crianças de 6 meses a 4 anos no Brasil. No momento, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permite apenas o uso do imunizante naqueles com mais de 5 anos.

Nos Estados Unidos, bebês com mais de 6 meses e as crianças de até 5 anos começaram a ser imunizados na última terça-feira (21), após as agências reguladoras norte-americanas autorizarem o uso da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 nesta faixa etária.

Pfizer deve pedir autorização de uso da vacina em bebês (Imagem: Reprodução/Governo de São Paulo)
Pfizer deve pedir autorização de uso da vacina em bebês (Imagem: Reprodução/Governo de São Paulo)

Este era o único grupo que não poderia ser beneficiado pelos imunizantes entre a população norte-americana. No caso brasileiro, a situação se mantém por tempo indeterminado, o que pode representar um potencial risco para a saúde dos pequenos. Estudos demonstram que mesmo bebês podem ser afetados pelas complicações da covid-19, como a covid longa.

Quando a Pfizer vai pedir autorização para a Anvisa?

Por enquanto, a Pfizer prepara a documentação para solicitar a ampliação de uso do imunizante contra a covid-19 para a Anvisa, mas não tem uma data definida para entregar toda a documentação, segundo apuração do jornal O Globo.

Em comunicado divulgado nos EUA, representantes da Pfizer comentaram que buscariam a aprovação do imunizante em crianças de 6 meses a 4 anos em outros países a partir do próximo semestre. "As empresas [Pfizer e BioNTech] planejam enviar pedidos de autorização de sua vacina contra covid-19 nessa faixa etária a outros reguladores em todo o mundo, incluindo a Agência Europeia de Medicamentos no início de julho", detalha o texto.

Apesar do movimento, por enquanto, a Anvisa não analisa nenhuma solicitação de uso de vacina contra a covid-19 em bebês. O único pedido em análise é o do Instituto Butantan, onde é solicitada a liberação da CoronaVac para a faixa de 3 a 5 anos.

O que sabemos sobre a vacinação de bebês e crianças?

Diferente da versão autorizada para as crianças mais velhas (com mais de 5 anos), o pedido da Pfizer já deve pontuar que o esquema vacinal do imunizante é composto por três doses, conforme foram feitos os estudos clínicos da fórmula nos EUA.

“Os dados de nosso estudo de Fase 2/3 mostram que a dose de 3 µg de nossa vacina — que selecionamos com base em dados de segurança, tolerabilidade e imunogenicidade —, administrada em uma série de 3 doses, fornece a crianças e bebês uma alto nível de proteção, também durante a recente onda da variante Ômicron”, afirma Ugur Sahin, CEO e cofundador da BioNTech.

No total, o estudo incluiu 4,5 mil crianças de 6 meses a 4 anos. "Após uma terceira dose neste grupo etário, verificou-se que a vacina provoca uma forte resposta imunitária, com um perfil de segurança favorável semelhante ao placebo", pontua a Pfizer.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos