Mercado abrirá em 5 h 41 min
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,72
    +0,06 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.780,80
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    32.595,30
    -448,52 (-1,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    784,43
    -65,92 (-7,75%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.083,41
    +21,12 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    28.426,93
    -62,07 (-0,22%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.119,00
    -11,00 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9719
    -0,0034 (-0,06%)
     

Pfizer pede para incluir adolescentes em bula de vacina contra COVID-19 no BR

·2 minuto de leitura

Buscando ampliar a vacinação contra o coronavírus SARS-CoV-2 no Brasil, a farmacêutica norte-americana Pfizer planeja incluir adolescentes com 12 anos ou mais na bula nacional de seu imunizante. Para a atualização do uso da vacina da Pfizer/BioNTech contra a COVID-19, a empresa enviou uma solicitação para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Atualmente, a vacina Comirnaty — nome oficial da fórmula Pfizer/BioNTech — está autorizada para pessoas com 16 anos ou mais no Brasil. Agora, a "Anvisa recebeu uma solicitação da Pfizer para ampliar a faixa etária de indicação da sua vacina contra a COVID-19. A empresa quer incluir o público adolescente com 12 anos de idade ou mais na bula da vacina, que hoje está registrada no Brasil", afirmou a agência reguladora, em nota. Em até 30 dias, a resposta sobre o pedido deve ser divulgada.

Pfizer quer ampliar grupo de apto para ser imunizado no Brasil contra o coronavírus, incluindo adolescentes (Imagem: Reprodução/Mufid Majnun/Unsplash)
Pfizer quer ampliar grupo de apto para ser imunizado no Brasil contra o coronavírus, incluindo adolescentes (Imagem: Reprodução/Mufid Majnun/Unsplash)

Teste de vacinas contra a COVID-19 para adolescentes

Como regra, para se incluir novos públicos na indicação de uma bula, o laboratório responsável precisa conduzir estudos que demonstrem a relação de segurança e eficácia para determinada faixa etária. No caso da vacina contra o coronavírus, a Pfizer já anunciou os resultados de um estudo do tipo, em março deste ano, feito com cerca de 2,2 mil voluntários norte-americanos com idades entre 12 e 15 anos.

Segundo a farmacêutica, as análises do estudo apontaram para altos níveis de anticorpos contra o coronavírus nas amostras coletadas, sendo maiores que os observados no estudo com jovens adultos. Inclusive, a taxa de eficácia inicial foi de 100% contra o agente infeccioso.

Na última sexta-feira (28), a Agência Europeia de Medicamentos aprovou o uso da vacina em jovens a partir de 12 anos e a decisão deve valer para os países membros da União Europeia. Anteriormente, autorizações semelhantes para o uso da fórmula foram concedidas nos Estados Unidos e no Canadá.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos