Mercado abrirá em 7 h 46 min
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,61
    -0,35 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.774,30
    +3,80 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    63.946,56
    +1.341,80 (+2,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,44
    +17,08 (+1,17%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    26.130,25
    +343,04 (+1,33%)
     
  • NIKKEI

    29.284,87
    +69,35 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    15.387,50
    -11,00 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5155
    +0,0193 (+0,30%)
     

Pfizer pede autorização aos EUA para vacinar menores de 12 anos contra covid-19

·2 minuto de leitura

A vacina contra covid-19 em adolescentes a partir dos 12 anos já é uma realidade em vários países. No entanto, no último domingo (26), o presidente e CEO da Pfizer, Albert Bourla, revelou que a empresa pretende enviar dados sobre o imunizante em crianças de 5 a 11 anos à FDA (Food and Drug Administration, agência de fármacos e alimentos dos EUA) dentro de alguns dias.

“É uma questão de dias, não de semanas”, afirmou Bourla, durante entrevista ao ABC News. Assim que os dados fornecidos pela Pfizer/BioNTech de fato estiverem disponíveis, os próximos passos envolvem passar por dois comitês: um para a FDA e outro para o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA). Isso significa que, caso os dados sejam enviados ainda nesta semana, provavelmente estarão no comitê no final de outubro.

"Estamos ansiosos para estender a proteção conferida pela vacina a essa população mais jovem, sujeita a autorização regulatória, especialmente porque rastreamos a disseminação da variante Delta e a ameaça substancial que ela representa para as crianças", disse o presidente e CEO da Pfizer.

Mas há alguns desafios, além da burocracia. Acontece que, nos EUA, menos da metade dos adolescentes está totalmente vacinada contra a covid-19. Por isso, educar o público sobre a importância da vacinação ainda tem sido um "obstáculo" a ser enfrentado dia após dia pelas autoridades americanas.

(Imagem: Garakta-Studio/Envato Elements)
(Imagem: Garakta-Studio/Envato Elements)

Na ocasião, Bourla também comentou que é possível esperar um retorno à normalidade em aproximadamente um ano: “Concordo que, dentro de um ano, seremos capazes de voltar à vida normal”, afirmou. Em suas palavras, isso não significa que as variantes da covid-19 deixarão de existir ou que não serão necessárias novas doses de vacinas. "Acho que o cenário mais provável é a revacinação anual, mas não sabemos ao certo. Precisamos esperar para ver os dados”, concluiu.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos