Mercado abrirá em 8 h 38 min
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,42
    -0,55 (-0,76%)
     
  • OURO

    1.745,40
    -6,00 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    45.512,50
    -2.524,19 (-5,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.136,71
    -88,82 (-7,25%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    23.955,18
    -965,58 (-3,87%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.232,25
    -93,75 (-0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1870
    -0,0124 (-0,20%)
     

Pfizer e BioNTech assinam com Eurofarma acordo de fabricação de vacina contra Covid para América Latina

·2 minuto de leitura

Por Ludwig Burger e Manas Mishra

(Reuters) – A Pfizer e sua parceira alemã BioNTech disseram nesta quinta-feira que assinaram acordo com a farmacêutica brasileira Eurofarma para fabricar a vacina contra Covid-19 que desenvolveram para distribuição na América Latina, em uma tentativa de impulsionar ambas as empresas farmacêuticas como fornecedoras de países de baixa e média renda.

A Eurofarma começará a fabricar doses finalizadas a partir de 2022, a primeira etapa de expansão na América Latina da rede de fornecimento das fabricantes de vacinas. O acordo não cobre o complicado processo de produção da substância de RNA mensageiro, que será feito nas instalações da Pfizer nos Estados Unidos.

A Eurofarma deve produzir mais de 100 milhões de doses finalizadas anualmente em plena capacidade operacional, disseram a Pfizer e a BioNTech em um comunicado conjunto nesta quinta-feira.

As empresas também disseram que já enviaram 1,3 bilhão de doses de sua vacina de duas doses contra Covid-19 globalmente e que pretendem entregar 3 bilhões até o final deste ano.

O presidente-executivo da Pfizer, Albert Bourla, disse que o acordo “expande nossa rede global de cadeia de suprimentos para outra região –ajudando-nos a continuar a fornecer acesso justo e equitativo à nossa vacina contra a Covid-19”.

A expansão planejada ocorre após o presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente da França, Emmanuel Macron, apoiarem no início deste ano a quebra de patentes de vacinas, que são protegidas por um acordo da Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre propriedade intelectual, para impulsionar o fornecimento a países mais pobres.

Países como a Alemanha, onde está a sede da BioNTech, e a própria BioNTech argumentaram que apenas os criadores de vacinas e seus parceiros podem montar rapidamente linhas de produção globais, porque para a tarefa são necessárias bem mais habilidades do que o que está codificado em patentes.

A Pfizer e a BioNTech fecharam no mês passado um acordo com o Instituto Biovac, da África do Sul, para processar e distribuir mais de 100 milhões de doses por ano de sua vacina para a África, também limitado às etapas finais de formulação e envase.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos