Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.783,80
    +145,92 (+0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Pfizer começa a testar vacina contra a COVID-19 em gestantes no Brasil

·1 minuto de leitura

A Pfizer revelou, na última terça-feira (25), que deu início a um estudo no Brasil para avaliar a eficácia e segurança do seu imunizante contra a COVID-19 em grávidas. A aplicação faz parte de um ensaio clínico global de fase 2 e 3 que começou em fevereiro e vai vacinar o total de 4 mil mulheres.

Serão 200 gestantes brasileiras vacinadas, com idade a partir de 18 anos e que estejam entre a 24ª e 34ª semana de gestação. Márjori Dulcine, diretora médica da Pfizer no Brasil, conta que esta é uma das etapas mais importantes da missão de combate à doença. "As mulheres grávidas têm um risco aumentado de complicações e de desenvolver a forma grave da doença. É muito importante reunirmos evidências sobre segurança e eficácia da vacina para este grupo, pensando no binômio mamãe e bebê", conta.

<em>Imagem: Reprodução/twenty20photos/envato</em>
Imagem: Reprodução/twenty20photos/envato

As gestantes voluntárias vão receber duas doses da vacina ComiRNAty (BNT162b2), com intervalo de 21 dias, e os cientistas avaliarão a segurança do imunizante, a porcentagem de imunização e da transferência dos anticorpos contra o coronavírus das mães para os bebês, que serão monitorados até seis meses depois do nascimento.

Veja quais são os centros que participação do estudo no Brasil:

  • Belo Horizonte (MG) Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais;

  • Porto Alegre (RS) Hospital de Clínicas de Porto Alegre;

  • São Bernardo do Campo (SP) - Centro Multidisciplinar de Estudos Clínicos (Cemec);

  • Sorocaba (SP) CMPC Pesquisa Clínica.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: