Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.792,30
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.822,46
    +1.017,13 (+2,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Pfizer anuncia vacina contra Ômicron para março

·1 min de leitura

Nesta segunda-feira (10), o CEO da Pfizer, Albert Bourla, anunciou que uma vacina contra a variante Ômicron estará pronta em março. Segundo o anúncio, a farmacêutica já chegou até mesmo a dar início à fabricação do imunizante, que terá como alvo também as outras variantes do coronavírus que circulam atualmente.

“A vacina estará pronta em março. Já estamos começando a fabricar algumas quantidades. A esperança é que alcancemos algo que tenha uma proteção muito melhor, principalmente contra infecções, porque a proteção contra as hospitalizações e as doenças graves é razoável agora, com as vacinas atuais, desde que se tenha a terceira dose", afirmou o CEO da empresa durante uma entrevista à CNBC.

Albert Bourla acrescentou que ainda não está claro se uma vacina contra Ômicron é necessária ou não, ou como ela seria usada, mas a ideia é que a Pfizer já tenha algumas doses prontas, tendo em vista que determinados países querem que o imunizante esteja pronto o quanto antes.

Pfizer anuncia vacina contra Ômicron em março (Imagem: erika8213/envato)
Pfizer anuncia vacina contra Ômicron em março (Imagem: erika8213/envato)

Por enquanto, o que se sabe a respeito da reação da Ômicron às vacinas é que a cepa não consegue escapar totalmente dos anticorpos fornecidos pelas duas doses da vacina da Pfizer. Além disso, um estudo não revisado por pares apontou que a taxa de proteção contra hospitalizações é de 70% para a variante recém-descoberta.

Para quem foi imunizado com a CoronaVac durante a pandemia, pode ser necessário tomar duas doses de reforço da Pfizer. Duas doses da CoronaVac não foram suficientes para neutralizar a variante, mas quando combinada com as duas doses de reforço da Pfizer, atingiu-se a proteção adequada.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos