Mercado abrirá em 7 h 28 min
  • BOVESPA

    108.843,74
    -2.595,62 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.557,65
    -750,06 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,10
    +0,81 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.762,50
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    42.313,16
    -3.467,86 (-7,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.058,85
    -75,54 (-6,66%)
     
  • S&P500

    4.357,73
    -75,26 (-1,70%)
     
  • DOW JONES

    33.970,47
    -614,41 (-1,78%)
     
  • FTSE

    6.903,91
    -59,73 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    23.984,26
    -114,88 (-0,48%)
     
  • NIKKEI

    29.985,75
    -514,30 (-1,69%)
     
  • NASDAQ

    15.067,50
    +58,00 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2466
    +0,0019 (+0,03%)
     

Pfizer acelera e começa a fabricar bilhões de doses adicionais contra COVID-19

·1 minuto de leitura

A Pfizer já está preparada para dar continuidade à vacinação contra a COVID-19 no futuro, disponibilizando doses de reforço que poderão ser aplicadas com frequência nos próximos anos. A empresa anunciou que espera produzir, ainda neste ano, mais dois bilhões de doses do imunizante, além de quatro bilhões para 2022.

Albert Bourla, CEO da Pfizer, diz que todos os países estão debatendo a aplicação de doses adicionais para controlar a pandemia, que ainda pode ser prolongada devido à flexibilização das normas de prevenção e com o surgimento de novas variantes. Em testes recentes, pesquisadores descobriram que a terceira dose do imunizante da Pfizer traz proteção adicional satisfatória contra o coronavírus, inclusive contra a variante Delta, que é ainda mais transmissível.

<em>Imagem: Reprodução/Hakan Nural/Unsplash</em>
Imagem: Reprodução/Hakan Nural/Unsplash

A fabricação das doses acontece em diferentes países, e aqui no Brasil a produção de 100 milhões de doses por ano será possível graças a uma parceria com a farmacêutica local Eurofarma. A aplicação de doses de reforço, no entanto, ainda deve demorar, pois bilhões de pessoas ainda aguardam pela imunização completa, principalmente na América Latina e outras regiões, como África, Oriente Médio e Sudeste Asiático.

Esta não é a primeira conquista da Pfizer contra a COVID-19. O laboratório, nos Estados Unidos, foi o primeiro a contar com aprovação definitiva da FDA (Food And Drug Administration), e a empresa também é a primeira a obter autorização para ser aplicada em menores de 12 anos, o que deve começar ainda neste ano no país norte-americano. O laboratório também é o único que possui autorização para vacinar menores de 18 anos aqui no Brasil.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos