Mercado abrirá em 9 h 6 min
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,68
    -0,89 (-2,25%)
     
  • OURO

    1.908,40
    -3,50 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    13.837,70
    +82,93 (+0,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    273,40
    +12,11 (+4,63%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.637,15
    -150,04 (-0,61%)
     
  • NIKKEI

    23.410,76
    -75,04 (-0,32%)
     
  • NASDAQ

    11.533,00
    -55,00 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7193
    -0,0039 (-0,06%)
     

PF investiga Boulos por críticas a Bolsonaro nas redes sociais

Ana Paula Ramos
·1 minuto de leitura
Pré-candidato a prefeito de SP, Guilherme Boulos deve prestar esclarecimentos à PF sobre críticas ao presidente Jair Bolsonaro (Photo DANIEL RAMALHO/AFP via Getty Images)
Pré-candidato a prefeito de SP, Guilherme Boulos deve prestar esclarecimentos à PF sobre críticas ao presidente Jair Bolsonaro (Photo DANIEL RAMALHO/AFP via Getty Images)

A Polícia Federal investiga o pré-candidato a prefeito de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL) por críticas ao presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais. Advogados de Boulos afirmaram que foram procurados pela PF para intimar o pré-candidato a prestar esclarecimentos sobre as postagens.

A informação foi divulgada em coluna do jornal Folha de S. Paulo.

Leia também:

A investigação acontece no âmbito de um inquérito aberto no Departamento de Inteligência Policial (DIP).

“Vamos verificar o conteúdo da investigação para então nos manifestarmos nos autos”, diz o advogado Alexandre Pacheco Martins, que representa Boulos.

Ele informou também que vai a Brasília, nesta segunda-feira (28), para entender do que se trata.

Guilherme Boulos considerou a investigação uma forma de intimidação e que o objetivo seria abafar questionamentos críticos a casos de corrupção envolvendo o presidente e sua família, como o caso das rachadinhas, um suposto esquema de desvio de salários de funcionários do gabinete do então deputado estadual Flavio Bolsonaro, na Assembleia Legislativa do Rio.