Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,32 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,85
    +0,71 (+0,83%)
     
  • OURO

    1.833,60
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    35.941,97
    +621,07 (+1,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    831,90
    +589,22 (+242,80%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,25 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.238,48
    -283,78 (-1,03%)
     
  • NASDAQ

    14.535,75
    +109,25 (+0,76%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1812
    -0,0088 (-0,14%)
     

PF deflagra operação contra fraudes na compra de medicamentos de alto custo

·1 min de leitura

BRASÍLIA — A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira a Operação Rarus para combater fraudes na compra de medicamentos de alto custo. A ação tem como objetivo reprimir golpes na entrega desses medicamentos comprados com dinheiro público para pessoas portadoras de doenças raras. Os policiais cumprem oito mandados de busca e apreensão em São Paulo e no Distrito Federal.

Os mandados foram expedidos pela 12ª Vara Federal Criminal de Brasília. A operação conta com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU). O órgão apurou a existência de ações judiciais patrocinadas por uma indústria farmacêutica específica, que se valia de uma associação de pacientes para induzir médicos a prescreverem os seus produtos.

Os casos aconteceram entre os anos de 2015 e 2018. A PF investiga a existência de pacientes que sequer possuíam a indicação médica para o uso de tais medicamentos. Além disso, também é apurado o envolvimento de agentes públicos, como dirigentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em atos de corrupção.

Os envolvidos poderão responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e violação de sigilo funcional. As penas previstas variam de 12 a 18 anos de prisão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos