Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,32 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,31 (-0,36%)
     
  • OURO

    1.836,10
    +4,30 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    35.256,27
    +34,63 (+0,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,25 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,64 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -15,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

PF conclui investigações sobre manchas de óleo que atingiram o litoral brasileiro em 2019 e 2020

·1 min de leitura

BRASÍLIA — A Polícia Federal infiormou nessa quinta-feira que concluiu as investigações acerca das manchas de óleo que apareceram no litoral brasileiro em 2019. De acordo com a PF, um navio petroleiro de bandeira grega teria sido o responsável pelo desastre ambiental, que gerou um custo de mais de R$ 188 milhões aos cofres públicos para limpeza de praias e oceano.

Saiba mais: Mais de 300 quilos de óleo são retirados de praia na Bahia

Divididas em três etapas, as investigações analisaram características da substância, o local onde se originou o vazamento e documentos que pudessem esclarecer informações, com os quais o Brasil contou com apoio da Interpol.

A partir dessas provas a PF chegou à conclusão que existe ''indícios suficientes de que um navio petroleiro de bandeira grega'' teria sido o causador do desastre ambiental.

Leia também: Marinha confirma que pequenas manchas de óleo voltaram a aparecer no litoral de quatro estados do Nordeste

''Foram indiciadas pela prática dos crimes de poluição, descumprimento de obrigação ambiental e dano a unidades de conservação a respectiva empresa e seus responsáveis legais, bem como o comandante e o chefe de máquinas do navio'', informou a Polícia em nota.

A PF ainda divulgou os gastos com a limpezas de praias e oceano após o derramamento de óleo. Segundo a instituição, órgãos Federais, Estaduais e Municipais acaram mais de R$ 188 milhões para recuperação ambiental, ''estabelecendo-se assim um valor inicial e mínimo para o dano ambiental. Depois das apurações a respeito do valor total gasto, a PF deverá encaminhar o laudo as autoridades competentes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos