Mercado fechado

Petz aposta na capacidade de interação entre venda física e digital para crescer

Raquel Brandão
·3 minuto de leitura

Rede de petshops diz que baixa idade das lojas também representa potencial de incremento de vendas Com crescimento de 393% das vendas digitais no terceiro trimestre, a rede de petshops Petz conseguiu manter a participação do comércio on-line em 25,5%, patamar que havia sido observado no segundo trimestre, quando grande parte das lojas estavam fechadas pelas medidas de isolamento social por causa da covid-19. Para o presidente da empresa, Sérgio Zimerman, a capacidade de multicanalidade da companhia é “ponto-chave” do crescimento da Petz. Essa foi a primeira demonstração financeira da Petz após a listagem das ações na B3. “Nosso balanço nos confirma na liderança do mercado, com uma plataforma 100% integrada”, disse Zimerman na primeira teleconferência de resultados. Ele argumenta que as 120 lojas em funcionamento até o fim do terceiro trimestre (a empresa abriu mais 4 lojas desde então, significam 120 minicentros de distribuição. “É o físico alimentando o digital e o digital alimentando o físico. Graças à nossa força na internet, quando chegamos em uma cidade já temos uma boa recepção.” Hoje a empresa permite a compra on-line e retirada em loja, além de entregas expressas de até 2 horas. Apesar do aumento das vendas on-line, o diretor financeiro Diogo Bassi, diz que o aumento do mix de produtos compensou a maior fatia do comércio on-line. A rentabilidade bruta caiu 0,3 ponto percentual para 41,4% no terceiro trimestre deste ano quando comparado ao mesmo período anterior, mas em 2019 a empresa havia reconhecido um crédito fiscal. Se descontado esse fator, a margem seria 0,4 ponto percentual maior, segundo Bassi. Reprodução/Facebook/Petz Zimerman disse que a administração da rede de petshops prefere não elevar a barra de expectativa para o ano de 2021. “Mantemos as projeções que apresentamos na oferta de ações.” Ele aponta incertezas econômicas e fatores como o fim das medidas de auxílio emergencial como razões para uma posição mais cautelosa. Ainda assim, Zimerman argumenta que o auxílio emergencial tem impacto marginal para o mercado pet e diz que não foi possível mensurar a influência dos pagamentos de R$ 600 nas vendas da companhia. Para a operação da Petz a retomada dos serviços de estética, segmento mais afetado pela pandemia, é a que deve levar mais tempo para acontecer, segundo o executivo. Também no horizonte de 2021, o diretor financeiro Diogo Bassi destaca a questão dos preços que já está em discussão com a indústria devido a aumento de custos e a forte alta do IGP-M, principal índice utilizado para correção de contratos de aluguel. Bassi destaca, porém, que a posição de caixa líquido de 13,3 milhões. “Nos deixa bastante confortáveis para aproveitar as oportunidades do mercado”. A alavancagem da companhia passou de 2,1 vezes no terceiro trimestre de 2019, para -0,1 vez no trimestre terminado em setembro de 2020. Segundo ele, a baixa idade das lojas é um fator positivo. Hoje, 52% das lojas ainda não completaram 3 anos de operação. “Nossas lojas ainda não atingiram todo potencial e têm espaço para crescer”, diz, acrescentando que 50% das 10 principais unidades da rede estão fora do Estado de São Paulo. “A gente ganhou participação na pandemia com a maior interação entre tutores e animais, o maior número de tutores e um maior cuidado com saúde e higiene dos animais”, diz Bassi.